mais justo - Mundo - iG" /

Liberais-democratas prometem um R.Unido mais justo

Londres, 14 abr (EFE).- O Partido Liberal-Democrata britânico, que pode ter um papel decisivo caso nem conservadores nem trabalhistas consigam maioria nas eleições gerais de 6 de maio, apresentou hoje seu programa eleitoral com a promessa de construir um Reino Unido mais justo, com melhores oportunidades para todos.

EFE |

O líder do partido, Nick Clegg, divulgou em Londres um detalhado plano de Governo, de 103 páginas, com quatro pilares políticos: impostos justos, maior atenção às crianças, economia mais justa e transparência na política.

Clegg, que pode ser uma figura política vital caso os dois principais partidos não obtenham uma clara maioria, pediu aos eleitores que em 6 de maio apostem por "algo novo" a fim de "mudar o país para o bem".

Segundo ele, cada cidadão britânico é "extraordinário", mas é uma "tragédia" que essa sociedade impeça muita gente de realizar seus sonhos devido às barreiras sociais e econômicas, que comparou a um "gargalo".

Embora esse partido tenha poucas possibilidades de chegar ao poder, já que o sistema britânico de maioria simples favorece o bipartidarismo - entre trabalhistas e conservadores -, o político disse que um voto aos liberais-democratas contribuirá para o fim do domínio dessas duas correntes que vem desde a Segunda Guerra Mundial.

Nesse sentido, Clegg aposta em uma grande reforma constitucional que inclua um novo sistema eleitoral.

O político afirmou que seu programa se baseia em uma única palavra: Justiça.

"Nosso manifesto levará Justiça à sociedade britânica. Esta não é uma promessa. É um plano", enfatizou Clegg.

Os quatro pilares que sustentam o plano eleitoral liberal-democrata almejam cargas tributárias mais justas que impeçam os mais ricos de se aproveitarem de lacunas legais para não pagar impostos.

Dessa forma, o partido quer, entre outras coisas, estabelecer um imposto sobre as propriedades que superem 2 milhões de libras (2,2 milhões de euros).

O segundo pilar é a reforma do sistema educacional, com a redução do número de crianças nas salas de aula. O terceiro é uma reforma econômica por meio da ruptura dos grandes bancos, para dividi-los entre bancos de investimento e bancos comerciais.

Para Clegg, com essa divisão das áreas bancárias, os cidadãos não terão de se sentir frustrados perante os excessos e a cobiça dos bancos.

O quarto pilar para os liberais-democratas é a reforma constitucional, com a reforma eleitoral e a possibilidade de que deputados corruptos possam ser expulsos do Parlamento.

"A tragédia é que temos uma sociedade na qual muita gente nunca chega a tornar realidade seus extraordinários sonhos", disse Clegg.

Para ele, deve-se acabar com os "privilégios, os gargalos em nossa sociedade que bloqueiam as oportunidades".

"Simplesmente não acho que seja justo que, no Reino Unido de hoje, as oportunidades das crianças sejam determinadas mais pela conta do banco dos pais que por seus sonhos e aspirações", insistiu o político, referindo-se ao sistema de classes que predomina na sociedade britânica.

Para Clegg, "se fazemos as coisas de outra maneira, se aprendemos com os erros do passado e buscamos algo novo, podemos transformar a cólera em esperança, a frustração em ambição e a recessão em uma oportunidade para todos". EFE vg/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG