Liberação de casamento gay é comemorada na Califórnia

Fernando Mexía Los Angeles (EUA.), 17 jun (EFE).

EFE |

- Centenas de casais gays disseram "aceito" hoje na Califórnia, que viveu um dia histórico ao se transformar no segundo estado, após Massachusetts, a permitir os casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Um mês depois da Suprema Corte declarar inconstitucionais as leis que impediam os casamentos entre homossexuais na Califórnia, os cartórios começaram a tramitar as licenças de casamento para gays e lésbicas.

"É um sonho tornado realidade", confessou à Agência Efe o ator George Takei, que interpretou o personagem Sulu na popular série de televisão "Jornada nas Estrelas".

Takei, de 71 anos, foi o primeiro a obter a permissão matrimonial hoje em West Hollywood, para onde foi de mãos dadas com seu companheiro, Brad Altman. Os dois se casarão em setembro.

Segundo estimativas, cerca de 120 mil casais selarão suas uniões na Califórnia durante os próximos três anos, o que forneceria uma importante fonte de renda para a economia do estado.

Cada novo casamento pagará um mínimo de US$ 70 à administração pública, pelo custo da licença.

Calcula-se que estes matrimônios possam gerar um volume de negócio de mais de US$ 680 milhões até 2011 neste estado, dos quais US$ 60 milhões serão destinados à burocracia.

Além disso, serão criados cerca de 2.200 empregos, um fenômeno que já começou a ser percebido hoje durante o primeiro dia em que os trâmites foram completos.

A entrega de documentos foi realizada no auditório do West Hollywood Park. Empresas do ramo e músicos se reuniram com noivos e meios de comunicação, assim como fotógrafos e cinegrafistas que ofereciam seus serviços.

O mesmo lugar serviu para apresentar a Gay Celebrations, companhia fundada hoje mesmo por um casal homossexual, que tem como objetivo celebrar a união entre pessoas do mesmo sexo, emprestando, inclusive, financiamento para que o evento seja "único".

"Acho que as pessoas estão começando a deixar seus preconceitos de lado. Agora estão percebendo que somos uma força econômica", disse Eric Manríquez à Agência Efe antes de adquirir sua permissão para se casar com seu namorado Juan.

O casal de mexicanos que mora em Los Angeles reiterou que seu interesse está em ser reconhecidos como "uma família" e explicaram que tinham pensado inclusive em viajar à Espanha para se casar.

O crescimento no número de casamentos gays na Califórnia, estado mais populoso dos Estados Unidos, bateu de frente com a oposição dos setores mais conservadores da sociedade, que estão tentando revogar a sentença do Supremo tanto por via judicial como legislativa.

As apelações dos grupos que defendem o casamento como uma união somente entre um homem e uma mulher já são esperadas. A prova de fogo dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo está prevista para um referendo no dia 4 novembro, coincidindo com as eleições presidenciais no país.

A organização ProtectMarriage.com, autodenominada "pró-família", recolheu mais de um milhão de assinaturas para que a proibição de casamentos entre homossexuais fosse submetida à votação.

Esta consulta chegará aos eleitores caso sejam validadas 694.354 das assinaturas entregues.

"Legalmente não se sabe o que vai ocorrer, temos toda a esperança de que o povo da Califórnia não vai apoiar a iniciativa, não se pode discriminar e as pesquisas mostram que tudo está mudando", comentou Monica Trasandes, diretora de mídia em espanhol da Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação (GLAAD).

Muitos casais homossexuais de São Francisco já viveram a experiência de se casar no inverno de 2004, graças a uma permissão municipal que posteriormente foi cancelada por um tribunal, o que deu início a uma batalha legal que chegou até a Suprema Corte, que finalmente decidiram a seu favor. EFE fmx/bm/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG