Líbano volta a negar conversas de paz com Israel

Beirute, 19 jun (EFE).- O Governo libanês voltou a rejeitar o início de negociações de paz com Israel, apesar de o Executivo hebraico ter expressado sua vontade de iniciá-las.

EFE |

"A postura libanesa deve ser clara para todos: não há lugar para negociações bilaterais entre o Líbano e Israel", afirmou o primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora.

Segundo Siniora, os territórios libaneses ocupados por Israel estão "sujeitos às resoluções do Conselho de Segurança da ONU, que não requerem nenhuma negociação".

Além disso, o primeiro-ministro assegurou que "o Líbano não recebeu nenhuma mensagem, de lugar algum, por meio da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, que efetuou na segunda-feira passada uma visita surpresa a Beirute.

Também, acrescentou que "o Governo libanês não poupa esforços e não deixa passar oportunidades, há três anos, para pedir aos Estados amigos e à ONU que façam pressão sobre Israel para que se retire das Fazendas de Chebaa".

Siniora lembrou que "Israel é obrigado a retirar-se dos territórios libaneses, em conformidade com as resoluções 425 e 1701 do Conselho de Segurança da ONU".

A resolução 425, aprovada em 1978, prevê a retirada total israelense do território libanês, o que inclui as Fazendas de Chebaa, um território disputado por Israel, Síria e Líbano.

Já a resolução 1701 pôs fim ao conflito de 2006 entre Israel e o grupo radical Hisbolá, ocorrido em território libanês.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, pediu na semana passada ao Líbano o início de negociações para estabelecer relações bilaterais, após o início de conversas indiretas com a Síria. EFE ks/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG