Líbano: Miliciano que derrubou helicóptero militar recebe prisão preventiva

Beirute, 9 set (EFE).- Um tribunal militar ditou prisão preventiva para o miliciano do Hisbolá que atirou em um helicóptero do Exército libanês em 28 de agosto e matou um oficial, informou hoje a Agência Nacional de Notícias libanesa.

EFE |

O membro do Hisbolá Mustafá Mokadem, de 20 anos, foi entregue às autoridades libanesas pelo grupo xiita um dia depois do incidente, e foi interrogado pelo juiz militar Rachid Mezher, antes de ser enviado à prisão.

O magistrado interrogará amanhã as testemunhas do incidente, ocorrido na região de Iqlim al-Tuffah, no sul do Líbano.

Há menos de duas semanas, um helicóptero das Forças Armadas libanesas foi atingido por tiros enquanto sobrevoava uma colina, e teve que realizar um pouso de emergência.

O capitão Samer Hanna, de 26 anos, morreu devido aos tiros, cuja origem não pôde ser determinada nos primeiros momentos.

Depois, o Hisbolá admitiu que um de seus milicianos tinha derrubado o aparelho, em um incidente que a organização qualificou de "infeliz e doloroso".

Segundo a versão do grupo xiita, Mokadem, que tinha recebido ordens de permanecer alerta diante de um possível ataque israelense contra o Líbano, atirou no helicóptero, porque achou que este pertencia ao Exército israelense. EFE ks/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG