Libaneses participam em massa das eleições parlamentares

Beirute, 7 jul (EFE).- Os libaneses foram hoje em massa depositar seu voto em um disputado pleito parlamentar, onde a luta principal se concentra em duas coalizões, uma pró-ocidental de maioria sunita e outra pró-síria, liderada pelo grupo xiita Hisbolá.

EFE |

Em alguns colégios eleitorais, como o de Nohbe no bairro de Haret Hreit, no sul de Beirute, várias pessoas enfrentavam filas de até uma hora para poder votar, segundo constatou a Agência Efe.

O ministro do Interior libanês, Ziyad Barud, disse à rádio local "Voz do Líbano" que, se continuasse o alto índice de participação, o fechamento dos colégios eleitorais poderia ser adiado em uma hora. A princípio, o encerramento está previsto para 19h (13h de Brasília).

Para evitar distúrbios, especialmente nas zonas onde se enfrentam candidatos de diversas correntes políticas, foram mobilizados 50 mil soldados e policiais.

Na escola de Bint Ali, que fica em um bairro misto libanês de sunitas e xiitas, vários veículos do Exército vigiam de perto a situação, em uma jornada onde, até o momento, houve poucos incidentes, com dois feridos.

Nisab Kasabi, de cerca de 35 anos, disse à Efe, após emitir seu voto em Bint Ali, que "as eleições são muito importantes, porque determinarão o futuro do país".

Kasabi comentou também que ocorreram algumas discussões, porque os nomes de muitos dos eleitores não apareciam nas listas, uma denúncia que se repetiu em vários colégios.

Para tentar solucionar este problema, as autoridades decretaram que os eleitores poderão exercer seu direito ao voto se seu nome estiver registrado nos arquivos de recenseamento.

Além disso, cada votante é obrigado a deixar as impressões digitais junto a seu nome com uma tinta especial, para evitar tentativas de fraude.

Os principais líderes políticos foram no começo da manhã às urnas, de onde pediram que a população vote.

O primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, que votou na cidade de Sidon, no sul do país, disse que era a primeira vez via tanta "motivação" entre os eleitores no Líbano.

Um total de 3.257.230 pessoas foi convocado a escolher 128 deputados, 64 cristãos e 64 muçulmanos, entre 580 candidatos que se apresentaram em todo o país.

A batalha principal é entre duas coalizões: as Forças de 14 de Março, grupo majoritário no Parlamento e apoiado pelo Ocidente e pelos países árabes moderados, e as Forças de 8 de Março, lideradas pelo Hisbolá e sustentadas pela Síria e pelo Irã, entre outros.

As eleições estão sendo supervisionadas por mais de 200 observadores internacionais, entre eles quase a metade da União Europeia. EFE ks-jfu/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG