Chegada de Panetta foi marcada por veículo que pegou fogo próximo à pista de pouso em base militar

O secretário de Defesa americano, Leon Panetta, fez uma visita surpresa ao Afeganistão nesta quarta-feira, depois do massacre de civis afegãos por disparos de um soldado americano.

Panetta (C) em reunião com autoridades afegãs em Ministério do Interior, em Cabul
AP
Panetta (C) em reunião com autoridades afegãs em Ministério do Interior, em Cabul
A visita do secretário americano foi marcada por um inicidente no momento em que o avião em que estava Panetta pousava. Um carro dirigido por um motorista afegão pegou fogo ao bater em um caminhão roubado. No incidente, o veículo atingiu alta velocidade e bateu próximo à pista onde o avião de Panetta pousaria em uma base aérea britânica, no sul do Afeganistão.

Ninguém que acompanhava o secretário de Defesa se feriu, segundo o porta-voz do Pentágono, o capitão John Kirby.

Revolta: Afegãos protestam contra queima do Alcorão em base dos EUA

Depois a batida, o motorista ficou em meio a chamas, mas o caminhão não chegou a explodir, disse o coronel Gary Kolb, porta-voz das Forças americanas no Afeganistão. O motorista foi levado ao hospital com graves queimaduras.

Ainda não está claro quais eram os objetivos do motorista ou mesmo se trata-se de um atentado frustrado. Segundo Kolb, não foram encontrados explosivos dentro do veículo ou com o motorista.

Diplomacia

A visita de Panetta ocorre após a morte de 16 civis pela ação de um militar americano, no fim de semana.  O secretário ficará dois dias em reunião com militares em uma base americana e também conversará com membros do governo afegão.

As relações entre EUA e Afeganistão vêm passado por momentos de tensão nas últimas semanas. No fim de fevereiro, a queima de cópias do Alcorão na base militar de Bagram resultou em protestos e mortes no Afeganistão, além de pedidos pela saída das tropas estrangeiras do país.

iG explica: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

No domingo, as mortes de 16 civis pela ação de um militar americano tensionou as relações entre EUA e Afeganistão. O Taleban prometeu retaliação depois do massacre.

*Com AP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.