Leite adulterado derruba altos funcionários do Governo chinês

Pequim, 20 mar (EFE).- Dois altos funcionários chineses de segurança alimentar foram destituídos de seus cargos e outros seis foram punidos por relação com o caso da adulteração de leite com melamina, que veio à tona há seis meses na China, informou hoje a agência oficial Xinhua.

EFE |

Os destituídos são o secretário de supervisão legal da Administração Geral de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ, em inglês), Wang Bubu, e o subdiretor-geral de supervisão e gestão de circulação de alimentos da Administração Estatal de Indústria e Comércio (SAIC, em inglês), Li Yangang.

Os outros seis funcionários receberam diversas punições, como rebaixamento de cargo, entre eles o secretário de Pecuária do Ministério da Agricultura chinês, Wang Zhicai, e o economista-chefe da pasta, Zhang Yuxiang.

A ingestão do leite adulterado causou a morte de seis bebês e afetou mais de 300 mil crianças, o que gerou desconfiança dos consumidores chineses em relação aos produtos nacionais, principalmente no setor de laticínios.

Em janeiro deste ano, dois vendedores da melamina misturada ilegalmente com o leite foram condenados à morte, enquanto a ex-presidente do principal grupo empresarial envolvido, Sanlu, foi sentenciada à prisão perpétua. EFE abc/bba/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG