Lei apoiada por Berlusconi paralisaria 100.000 processos na Itália

Cerca de 100.000 processos judiciais - entre eles um envolvendo o chefe do governo italiano, Silvio Berlusconi - serão suspensos após a votação de uma polêmica emenda, apoiada pela maioria de direita, denunciou nesta quarta-feira a Associação Nacional de Magistrados (ANM).

AFP |

"Isso vai colocar a justiça penal de joelhos. Será um caos sem precedentes", alertou o secretário-geral da ANM, o principal sindicato dos magistrados, Giuseppe Cascini.

"Nos recusamos a acreditar que 100.000 processos serão suspensos para evitar um deles. Seria extremamente grave", lamentou.

A emenda, batizada de "Salvem o primeiro-ministro" pela oposição de esquerda, foi adotada nesta quarta-feira pelo Senado por 160 votos a favor e 11 contra (entre 315 votantes).

Os senadores do Partido Democrata (PD, esquerda) e seu aliado A Itália dos Valores (IDV), do ex-juiz anti-corrupção Antonio Di Pietro, negaram-se a participar da votação.

A emenda ainda deve ser votada pela Câmara dos Deputados, onde o governo dispõe de maioria absoluta.

O texto tem por objetivo dar prioridade aos processos mais recentes e considerados mais graves, quando a pena requerida é superior a 10 anos.

Os demais processos, referentes a atos cometidos antes de 30 de junho de 2002, serão suspensos por um ano. Isso afetaria um caso de corrupção pelo qual Berlusconi e seu ex-advogado britânico David Mills são julgados em Milão (norte).

Berlusconi é acusado de oferecer 600.000 dólares a Mills em troca de falsos depoimentos a seu favor perante a justiça italiana, durante dois processos que remontam ao final dos anos 90.

str-/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG