Legistas identificam vítimas do acidente ferroviário espanhol

Pessoas atingidas por trem de alta velocidade quando cruzavam trilhos em local no nordeste da Espanha tinham entre 17 e 39 anos

EFE |

As equipes legistas identificaram 9 das 13 vítimas do atropelamento ferroviário de Castelldefels (perto de Barcelona, nordeste espanhol). Das vítimas identificadas, cinco são equatorianas, duas são bolivianas e outras duas colombianas, segundo anunciou nesta sexta-feira a conselheira regional de Justiça, Montserrat Tura. Acredita-se que os demais cinco mortos também sejam latino-americanos.

Segundo Montserrat, as pessoas que foram atingidas por um trem em alta velocidade quando cruzavam os trilhos em vez de utilizar a passagem subterrânea da estação tinham entre 17 e 39 anos.

Por enquanto, o juiz que cuida do caso confirmou os nomes e sobrenomes de seis dos nove identificados e todos eles correspondem a cidadãos latino-americanos. Em um primeiro momento, pensou-se que seriam 12 mortos, mas os legistas confirmaram, por meio dos restos mortais encontrados, que havia uma 13ª vítima.

Dos identificados até o momento, oito homens e uma mulher, somente seis tiveram seus sobrenomes declarados. Segundo Montserrat, será "muito mais difícil" identificar a vítima número 13 por causa do mau estado dos restos mortais.

Os nomes fornecidos das vítimas, assim como seu país e data de nascimento, são: Jesús David Parada Ayala (Bolívia, 1991), Diego Erwin Gutiérrez Algarañaz (Bolívia, 1992), Jorge Eliecer Serrano Varón (Colômbia, 1971), Danny Ariosto Cedeño (Equador, 1985), Diego Fernando Chamorro Pinchao (Equador, 1986) e Janela Lizeth Luna Correa (Equador, 1993).

Em respeito ao desejo da família, a identidade de uma sétima vítima não foi revelada oficialmente pelas autoridades espanholas, segundo a conselheira. No entanto, fontes oficiais já tinham informado na quinta-feira que se tratava do cidadão colombiano John Mauricio Osorio, de 33 anos.

Montserrat explicou que das outras duas vítimas que os legistas já identificaram não foram divulgados os nomes porque o juiz ainda não ratificou o processo. No entanto, fontes de uma entidade hispano-equatoriano informaram que uma das outras vítimas é Rosa María Vivar Arboleda, de 19 anos, de Balzar, na província equatoriana de Guaias.

O estado dos dez feridos que permanecem hospitalizados evolui favoravelmente, mas três seguem em situação crítica e, deles, uma mulher de 25 anos se encontra em estado gravíssimo. Segundo a entidade hispano-equatoriana, uma das mulheres feridas em estado grave seria Lizete Olivo, de 18 anos.

Entre os levemente feridos se encontra um jovem dominicano de 18 anos, que ficou ferido quando saltou nos trilhos para salvar outras pessoas, ajudando-as a subir para a plataforma da estação.

Fontes da embaixada do Equador na Espanha informaram que o embaixador, Galo Chiriboga Zambrano, se deslocará no sábado a Castelldefels para liderar os trabalhos de busca e identificação de possíveis vítimas equatorianas. Zambrano se deslocará ao nordeste espanhol para apoiar o cônsul e a secretaria nacional do imigrante em colaboração com as autoridades catalãs.

Já o Consulado da Bolívia em Barcelona, que enviou um funcionário a Castelldefels, está à espera de que a polícia forneça informações sobre as vítimas bolivianas.

O acidente ferroviário ocorreu quando cerca de 30 pessoas que desceram de um trem e seguiam à praia para celebrar a noite de São João optaram por atravessar as vias em local indevido por baixo da estação, momento em que foram atropeladas por um trem de alta velocidade. Esse é o acidente ferroviário mais grave ocorrido na Espanha desde 2003.

    Leia tudo sobre: Espanhaacidente de trem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG