Legistas confirmam que corpo achado é de estudante de Yale

(atualiza com confirmação da identificação do corpo). Washington, 14 set (EFE).- Legistas de Connecticut confirmaram hoje que o corpo encontrado no domingo na Universidade de Yale é de Annie Marie Le, de 24 anos, que tinha desaparecido na terça-feira.

EFE |

"Identificamos o corpo como o de Annie Le. Foi um homicídio, embora não divulgaremos a causa até amanhã", disse à Agência Efe um porta-voz do escritório legista, após a realização da autópsia.

Joe Avery, porta-voz da Polícia de New Haven, cidade onde está localizada a Universidade de Yale, disse hoje que a morte "não foi uma ação ao acaso" e que o assassino tinha um motivo.

A Polícia encontrou no domingo um corpo escondido atrás de uma parede, entre encanamentos e cabos, no porão do edifício, em New Haven (Connecticut).

No mesmo dia, Annie iria ser casar em Nova York com Jonathan Widawsky, um estudante de pós-graduação da Universidade de Columbia.

Widawsky não é suspeito e colabora com a investigação, segundo os diretores da universidade.

Segundo os canais de televisão "ABC" e "NBC", a Polícia concentra sua atenção em uma pessoa que não passou no detector de mentiras e que parece mostrar ferimentos. A "NBC" diz ainda que o suspeito é um estudante.

No entanto, Avery destacou que as autoridades ainda não contam com um suspeito.

O edifício onde o corpo foi encontrado é vigiado por 75 câmaras de vídeo, que controlam todas as portas, e é necessário um cartão de identificação para entrar nele.

Esse tipo de medida de segurança é estabelecido em todas as instalações da universidade onde são realizados experimentos com animais, segundo Robert Alpern, professor da Faculdade de Medicina, ao "Yale Daily News", o jornal da universidade.

"Seria certamente extremamente difícil para alguém de fora de Yale entrar nesse lugar. Não impossível, mas extremamente difícil", afirmou Alpern. EFE cma/pd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG