Lavrov rejeita declarações da Otan e de Rice por falta de objetividade

Moscou, 19 ago (EFE).- O ministro de Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, rejeitou hoje as declarações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, devido à falta de objetividade.

EFE |

"A declaração da Otan é parcial e ,em primeiro lugar, porque nela não se menciona nenhuma palavra de como começou e por que ocorreu tudo isso (o conflito na região separatista georgiana da Ossétia do Sul)", disse Lavrov em entrevista coletiva.

O chefe da diplomacia russa ressaltou que, na nota, não há referência a "quem começou a agressão, quem armou a Geórgia, quem, de maneira reiterada nos últimos tempos, bloqueou as chamadas e as propostas da Rússia".

Essas propostas, acrescentou, aludiam à necessidade de "assinar um acordo jurídico vinculativo com a Ossétia do Sul e a Abkházia sobre o não uso da força".

"Em uma palavra, a Aliança Atlântica colocou (o presidente georgiano Mikhail) Saakashvili sob sua proteção", disse.

Lavrov criticou a Otan por "tentar transformar o agressor em vítima, justificar o regime criminoso, salvar um regime que se afunda e apostar no rearmamento dos atuais dirigentes georgianos".

Ao respeito, o ministro disse que a atitude da Otan em relação à Ossétia do Sul terá "conseqüências".

Quanto às afirmações de Rice, Lavrov lembrou que a Geórgia infringiu várias vezes suas obrigações como membro do Conselho da Europa, e colocou em dúvida as credenciais democráticas de Saakashvili.

Além disso, insistiu em que as tropas russas sairão da Geórgia em questão de 3 ou 4 dias, e reiterou que Moscou não se propõe a "ocupar" ou "anexar" parte do território georgiano. EFE io/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG