Lavrov pede que palestinos e israelenses marquem conferência em Moscou

Moscou, 16 mai (EFE) - O ministro de Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, pediu hoje tanto a palestinos e israelenses, quanto aos mediadores internacionais que marquem a data da conferência do Oriente Médio que o Kremlin deseja realizar em Moscou.

EFE |

"Certamente, não vamos obrigar ninguém contra sua vontade, mas seria um erro dilatar a decisão sobre as datas da conferência", disse Lavrov em entrevista coletiva.

Ele indicou que tanto os países árabes como a ONU pediram durante as últimas semanas à Rússia que determine as datas de realização da cúpula.

"Não poderemos tomar uma decisão até que se acordem datas que convenham a todos, principalmente a israelenses e palestinos", disse.

O chefe da diplomacia russa acrescentou que "a bola está agora no campo israelense".

"Os palestinos estão dispostos a se reunir a qualquer momento, enquanto os israelenses dizem que precisam de algum tempo para avançar no processo negociador confidencial entre (o primeiro-ministro israelense) Ehud Olmert e (o presidente da Autoridade Nacional Palestina) Mahmoud Abbas", disse.

A Rússia propôs realizar uma conferência em Moscou para promover o processo de paz do Oriente Médio, iniciativa que recebeu publicamente o respaldo do líder da ANP e do presidente egípcio, Hosni Mubarak, entre outros.

Lavrov disse recentemente que todos os membros do Quarteto de Madri para o Oriente Médio (Estados Unidos, União Européia, ONU e Rússia) estão interessados na realização da conferência.

No entanto, segundo os analistas, não é certo que Israel aprove o encontro, pois a Rússia forneceu armamento a dois de seus principais inimigos, Irã e Síria, e mantém contatos com o movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza após expulsar em junho de 2007 as forças leais Mahmoud Abbas, líder do nacionalista Fatah.

Um alto representante da Chancelaria israelense expressou esta semana o ceticismo de seu Governo em relação à iniciativa russa, apesar de não ter descartado a participação de Israel nesse fórum.

O Kremlin deseja que, ao contrário da conferência de paz que foi realizada em novembro do ano passado na base americana de Annapolis, em Moscou se aborde não só o conflito israelense-palestino, mas também os problemas com Síria e Líbano.

A Rússia afirma que não haverá paz no Oriente Médio se não houver uma solução satisfatória para todas as partes afetadas pelo conflito. EFE io/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG