Lavrov: Irã não infringiu Tratado de Não-Proliferação Nuclear

Moscou, 8 abr (EFE).- O ministro de Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, assegurou hoje que o Irã não infringiu o Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) ao anunciar a instalação de 6 mil novas centrífugas de enriquecimento de urânio.

EFE |

"O Irã não infringiu o TNP ou os acordos firmados com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA)", disse Lavrov.

O ministro russo acrescentou que não há nada surpreendente no anúncio feito hoje pelo líder iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, já que as autoridades de Teerã "já haviam expressado, em mais de uma ocasião, sua intenção de desenvolver o ciclo nuclear completo".

Ele assegurou que não é possível evitar as ambições nucleares iranianas, levando em conta que as autoridades desse país desenvolveram seu programa atômico durante mais de 18 anos.

O chefe da diplomacia russa antecipou que, na semana que vem, será realizada uma reunião do sexteto sobre o Irã -os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança (Estados Unidos, China, França, Reino Unido e Rússia) mais a Alemanha- em nível de vice-ministros de Exteriores e diretores políticos.

Além disso, se pronunciou contra o uso da força para solucionar o conflito no Irã, o que, na sua opinião, desestabilizaria toda a região do Oriente Médio.

Ressaltou que é cedo para falar de novas sanções contra o regime iraniano, já que ainda não expiraram os 90 dias dos que dispõe para responder às propostas do sexteto.

O embaixador americano perante a AIEA, Gregory Schulte, condenou a atitude iraniana, ao considerar que "demonstra a clara intenção de violar mais ainda as exigências do Conselho de Segurança da ONU".

Por sua parte, o ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, qualificou de "perigoso" o plano anunciado pelo Irã, e advertiu para o reforço das sanções, se este segue fazendo caso omisso às demandas da comunidade internacional. EFE io/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG