Lavrov afirma que novos observadores não chegarão à Abkházia e Ossétia do Sul

Moscou, 11 set (EFE).- O ministro de Exteriores russo, Serguei Lavrov, garantiu hoje à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, que os novos observadores não chegarão às regiões separatistas georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul.

EFE |

"O ministro ressaltou que, como está escrito nos acordos, os novos observadores internacionais serão mobilizados exclusivamente nas zonas adjacentes à Abkházia e à Ossétia do Sul", disse Lavrov durante conversa telefônica com Rice, informou a Chancelaria russa em comunicado.

Lavrov ressaltou que o objetivo da missão de observação da União Européia (UE) é "evitar uma nova agressão por parte de Tbilisi".

O presidente russo, Dmitri Medvedev, aceitou na segunda-feira a iniciativa da UE de enviar antes do final do mês uma missão de observação civil à zona de segurança entre o território administrado por Tbilisi e as regiões separatistas.

O alto representante para Política Externa e Segurança Comum da União Européia (UE), Javier Solana, reconheceu depois que o envio de observadores às regiões separatistas não chegou a ser abordado.

Poderão voltar à Ossétia do Sul os observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) que estavam na zona antes da explosão do conflito, em 8 de agosto, assim como os efetivos da ONU na Abkházia.

Quanto à segurança das regiões separatistas, cuja independência foi reconhecida em 26 de agosto por Moscou, os soldados russos (7.600 efetivos) serão mobilizados nos dois territórios em virtude de acordos bilaterais, lembrou Lavrov. EFE io/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG