Lavrov adverte o Ocidente que apoio a Saakashvili será erro histórico

Moscou, 1 set (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, advertiu hoje aos Estados Unidos e a seus aliados que apostam no regime do presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, que incorrerão em um erro de magnitude histórica.

EFE |

"Se os EUA e seus aliados no final optarem não pelos interesses nacionais ou os do povo georgiano, mas pelo regime de Saakashvili, que nada aprendeu, será um erro de magnitude histórica", disse o chefe da diplomacia russa, citado pela agência "Interfax".

Lavrov fez esta advertência em uma aula magna no Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou por ocasião do início do ano letivo, na qual sustentou que "o fantasma do grande jogo novamente passeia pelo Cáucaso".

"A Rússia voltou à arena internacional como um Estado responsável, capaz de defender seus cidadãos", ressaltou ao destacar que a "operação de imposição da paz à Geórgia" e o reconhecimento das independências da Ossétia do Sul e da Abkházia retiram toda dúvida que pudesse haver a respeito.

O ministro de Exteriores sugeriu a imposição de um embargo internacional às vendas de armas à Geórgia por sua agressão à Ossétia do Sul.

"Para começar, seria correto impor um embargo às provisões de armas a esse regime (de Saakashvili) até que outras autoridades transformem a Geórgia em um Estado normal", disse Lavrov, Disse que a reação de alguns países ocidentais à "crise na Ossétia do Sul" deixa em evidência seu "déficit de moral", pois se baseia em argumentos de ordem geopolítica e ideológica "sem relação com a realidade".

Lavrov acrescentou que a cúpula realizada hoje pela União Européia sobre as conseqüências da guerra na Geórgia "esclarecerá muito as coisas".

Ressaltou que Moscou não permitirá a ninguém colocar uma cunha nas relações com Berlim, após destacar que a "reconciliação russo-alemã (depois da Segunda Guerra Mundial) é um dos fatores mais importantes da edificação da nova Europa".

Ao se referir às relações com Washington, o titular de Exteriores assinalou que a Rússia está disposta a desenvolver suas relações com qualquer administração que se instalar na Casa Branca.

"Mas nossos parceiros americanos devem entender que as relações entre as principais potências mundiais só podem ser construídas sobre a base de uma rigorosa reciprocidade e honestidade total", acrescentou.

Lavrov afirmou que este esquema é válido "em pacote" e não por elementos isolados.

"Vamos falar com Washington enquanto exista a mínima esperança de entendimento e de se chegar a acordo", reafirmou. EFE bsi/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG