Lavradores paraguaios são presos após invadirem fazenda de brasileiro

ASSUNÇÃO - A polícia paraguaia deteve, nesta sexta-feira, cinco lavradores de grupos sem-terras depois da ocupação de uma fazenda de um produtor brasileiro de soja no departamento (estado) de São Pedro, informaram fontes da Polícia.

EFE |

Os detidos são o dirigente camponês Florencio Martínez e outros quatro lavradores que fariam parte do grupo que invadiu, nesta quinta-feira, a fazenda do empresário Tranquilo Fávero, um dos principais produtores de soja do país.

O local ameaçado, onde há um silo, fica no distrito de Capiibary, cerca de 350 quilômetros ao nordeste de Assunção, e em cujas redondezas os camponeses permanecem acampados depois de derrubarem ontem parte do cercado do estabelecimento.

O procedimento de detenção foi liderado pelo promotor Alcides Corbalán, que informou a jornalistas que os presos podem ser acusados nas próximas horas de "incitação a ações puníveis e perturbação da paz pública".

O agente do Ministério Público destacou, além disso, que os manifestantes tentaram convencer os lavradores da Organização de Luta pela Terra (OLT) a desistirem da medida de força, mas que eles se recusaram a atender as solicitações.

A tensão nas regiões agrícolas do Paraguai motivou, nesta quinta-feira, a emissão de um comunicado por parte do vice-presidente e presidente em exercício, Federico Franco, no qual se afirma que "o Governo garante o direito à propriedade privada e o dos produtores a semearem em suas terras".

Além disso, ressaltou que as autoridades estão "tomando todas as medidas apropriadas para tornar esses direitos efetivos" e advertiu que "a violência não é nem será aceita sob nenhum conceito como mecanismo para se reivindicar direitos ou exigir soluções".

Os camponeses argumentam que, no passado, grandes extensões de terra foram cedidas a pessoas não adeptas à reforma agrária, entre elas colonos brasileiros, e que os cultivos mecanizados, como o da soja, desmatam as florestas e poluem o meio ambiente.

A atual mobilização camponesa deseja impedir o início da colheita de soja do período entre 2007 e 2008 e, após a detenção dos cinco lavradores, os integrantes da OLT, que também realizam bloqueios em São Pedro, convocaram uma assembléia para definir as próximas medidas a serem adotadas.

Leia mais sobre brasileiros no Paraguai

    Leia tudo sobre: brasileiros no paraguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG