Laurent Gbagbo é capturado na Costa do Marfim

Líder marfinense que se recusa a aceitar derrota eleitoral foi preso após invasão à residência presidencial em Abidjan

iG São Paulo |

O líder marfinense Laurent Gbagbo, que se recusa a deixar a presidência da Costa do Marfim, foi capturado nesta segunda-feira após uma invasão à residência presidencial em Abidjan, a maior cidade do país. Gbagbo foi preso e levado ao hotel Golf, local usado como sede das forças de Alassane Outtara, reconhecido internacionalmente como presidente do país.

Um de seus conselheiros disse que a prisão foi feita por forças especiais francesas, mas o porta-voz da missão da ONU na Costa do Marfim, Amadoune Touré, disse que foram os homens de Alassane Outtara, que capturaram Gbagbo e sua esposa, Simone. A informação de Touré foi confirmada por um canal de TV marfinense, leal a Outtara.

Gbagbo e sua família estavam refugiados há dias em um bunker subterrâneo da residência presidencial. O local vinha sendo atacado por tanques franceses e helicópteros da ONU. Tropas de paz da ONU acusaram as forças de Gbagbo de ameaçar a população civil do país e pediram ajuda às tropas francesas para combater as pesadas armas de Gbagbo.

Após a captura de Gbagbo, a secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, disse que "ditadores que se apegam ao poder sofrem consequências".

Impasse

A Costa do Marfim vivia um impasse político desde as eleições de novembro. Alassane Ouattara foi reconhecido internacionalmente como vencedor, mas Gbagbo, que disputava a reeleição, alegou fraude e se autodeclarou vencedor.

Desde então o país tem vivido confrontos entre simpatizantes dos dois lados. Em março, forças de Outtara lançaram uma ofensiva a partir de seu reduto, no norte, e tomaram a maior parte da Costa do Marfim.

À medida em que suas forças foram se aproximando do reduto de Gbagbo em Abidjan, tropas da ONU e francesas passaram a combater as forças de Gbagbo. Tentativas de negociar uma saída para a crise falharam na semana passada. Segundo a ONU, na sexta-feira as forças de Gbagbo voltaram a ganhar terreno em Abidjan, chegando a ameaçar o hotel Golf.

Mas, no domingo, helicópteros franceses e da ONU voltaram a atacaram a residência presidencial e, na segunda-feira, tanques franceses foram vistos entrando no local. 

A crise forçou o deslocamento de mais de 1 milhão de pessoas na Costa do Marfim.

Com BBC e AP

    Leia tudo sobre: costa do marfimlaurent gbagboalassane ouattaraonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG