Laura Ling e Euna Lee: as duas jornalistas americanas detidas em Pyongyang

A viagem à Coreia do Norte do ex-presidente americano Bill Clinton tem como objetivo conseguir a libertação de duas jornalistas americanas de origem asiática.

AFP |

A sino-americana Laura Ling, 32 anos, e a coreana-americana Euna Lee, 36 anos, foram detidas no dia 17 de março quando tinham acabado de entrar - ilegalmente - no território norte-coreano, a partir da China.

Em junho, foram condenadas a 12 anos de trabalhos forçados por terem cruzado a fronteira sem autorização, "denegrido o regime" e cometido um "crime grave", não especificado pelos juízes.

Ambas trabalhavam pela rede de televisão americana Current TV, da qual Al Gore, vice-presidente de Clinton, é um dos fundadores.

Antes do julgamento das duas jornalistas, Lisa Ling, irmã de Laura, afirmou no site Facebook que ambas estavam "no meio de um confronto nuclear mundial" e ressaltou a necessidade de "se fazer ouvir".

Contudo, as famílias das duas jornalistas, que lançaram um site (lauraandeuna.com), um perfil no Twitter e uma petição com um milhão de assinaturas que pretendem apresentar às Nações Unidas, parecem agora estar escolhendo com cuidado suas palavras.

"Tudo está tão delicado", disse Lisa Ling na noite de segunda-feira, recusando-se a comentar o anúncio da viagem de Clinton a Pyongyang. "Vamos esperar um pouco mais. Estamos pisando em ovos", declarou ela ao Los Angeles Times.

Na manhã desta terça-feira, após a confirmação da viagem do ex-presidente americano, a família enviou uma mensagem pelo Twitter com as seguintes palavras: "Por favor, unam-se a nós para rezar por negociações rápidas e coroadas de sucesso pela libertação de Laura Ling e Euna Lee".

Laura Ling trabalhou dos dois lados da câmera. A jornalista já gravou reportagens em várias zonas de conflito, como Birmânia e Sri Lanka. Na Current TV, ela é encarregada das notícias destinadas ao público jovem.

Em carta enviada à irmã em maio, ela disse que chorou muito desde sua detenção, e que tem sorte de contar com uma família "que trabalha tanto" por sua libertação.

Euna Lee chegou aos Estados Unidos em 1995 em procedência de Seul, onde seus pais vivem até hoje, e trabalha na Current TV desde que a rede foi criada.

Ela é casada há 10 anos com Michael Saldate, e ambos têm uma filha de quatro anos. Segundo uma mensagem publicada por uma de suas amigas, Mallika Chopra, no site dedicado às duas jornalistas, Euna Lee pôde falar recentemente com uma de suas irmãs por telefone, mas para a família "as montanhas russas da esperança e da decepção são muito desgastantes".

mlm/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG