Laura Chinchilla toma posse na Costa Rica

Costa Rica empossa a primeira mulher como presidente neste sábado

EFE |

AFP
Laura Chinchilla toma posse neste sábado
A social-democrata Laura Chinchilla Miranda, de 51 anos, se tornou hoje a primeira mulher a se tornar presidente na Costa Rica.

Laura tomou posse hoje e recebeu a faixa presidencial do presidente do Congresso, Luis Gerardo Villanueva, em um evento que reuniu 10 mil pessoas e na presença de nove chefes de Estado, além do Príncipe de Astúrias.

Seu mandato vai até 2014, depois de ter vencido as eleições do dia 7 de fevereiro com uma ampla margem e substitui Óscar Arias no cargo, companheiro de partido e de quem foi ministra e vice-presidente.

Assistiram à cerimônia os presidentes de El Salvador, Mauricio Funes; da Guatemala, Álvaro Colom; de Honduras, Porfirio Lobo; da Nicarágua, Daniel Ortega; do Panamá, Ricardo Martinelli; do Equador, Rafael Correa; da Colômbia, Álvaro Uribe; do México, Felipe Calderón e da Geórgia, Mikheil Saakashvili, além do Príncipe de Astúrias.

Chinchilla, de 51 anos, recebeu a faixa presidencial em uma cerimônia "popular".

Festa popular

 A equipe da presidente preparou uma grande festa popular no Parque La Sabana, a poucos passos de onde a China constrói o novo Estádio Nacional, para que o dia seja "celebrado com o povo".

Nesses últimos três meses, Chinchilla vem se destacando pelo diálogo, enquanto presidente eleita, como demonstrou indo aos "feudos" de seus principais rivais políticos após sua ampla vitória (47%) nas eleições de 7 de fevereiro.

A presidente da democracia mais antiga e estável da América Latina já concluiu a nomeação de seu secretariado e direção das principais instituições do país, privilegiando técnicos.

AFP
Laura Chinchilla toma posse em festa popular na Costa Rica

Acompanhada por dois vice-presidentes, um do setor econômico, o banqueiro Luis Liberman, e outro ambientalista", Alfio Piva, a prioridade de seu governo é o crescimento econômico. O país aspira a crescer cerca de 4% neste ano e gerar mais empregos, diz.

Entre seus dois projetos principais no campo social, estão a redução da pobreza e a criação de uma rede de saúde para idosos e crianças, além de aumentar a polícia e melhorar seu desempenho para lutar contra as redes de crime organizado, cada vez mais presentes na Costa Rica.

O governo Arias deixa um rombo fiscal de 5%, e os analistas consideram imprescindível a aprovação da postergada reforma fiscal, tão impopular para qualquer governo.

Chinchilla deixou claro em suas visitas aos países da região que a integração da América Central será uma prioridade sobretudo para superar a insegurança, e espera contar com a ajuda dos Estados Unidos. Ele pediu à chefe da diplomacia, Hillary Clinton, auxílio para lutar contra o crime organizado.

Durante seu governo deverá sancionar, também, os Tratados de Livre Comércio negociados com Cingapura e China, país com o qual Arias estabeleceu relações diplomáticas em 2007 - o único na América Central - e o Acordo de Associação com a União Europeia.

    Leia tudo sobre: Costa RicaLaura Chinchilla

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG