Laura Bush promete mais ajuda a Mianmar e critica Junta Militar birmanesa

A primeira-dama americana, Laura Bush, prometeu nesta segunda-feira aumentar a ajuda humanitária para Mianmar e criticou a Junta Militar do país por não ter alertado a população com antecedência sobre a chegada do ciclone, que deixou mais de 10.000 mortos.

AFP |

Laura Bush disse que a Junta Militar não deveria realizar no próximo final de semana o referendo sobre uma nova Constituição.

"Não vou dar nenhum conselho a eles. Mas seria muito, muito estranho, eu acho, se eles seguirem adiante a fizerem o referendo neste sábado", declarou Laura.

"Apesar de estarem cientes da ameaça que se aproximava, os meios de comunicação de Mianmar controlados pelo Estado não emitiram qualquer advertência aos cidadãos sobre a passagem do ciclone", lamentou a primeira-dama em uma coletiva à imprensa na Casa Branca.

"É lamentável que muitos birmaneses tenham sabido do desastre iminente só quando a mídia estangeira, como a Rádio Ásia Livre e a Voz da América, emitiram um alerta", afirmou.

"Os Estados Unidos se preparam para enviar uma equipe de assistência e mantimentos de primeira necessidade a Mianmar, assim que o governo birmanês aceitar nossa oferta", disse.

"O governo de Mianmar deve aceitar esta equipe rapidamente, assim como outras ofertas de ajuda internacional", concluiu.

lt/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG