Latinos pressionam Obama por reforma na imigração

Por Tim Gaynor PHOENIX, Estados Unidos (Reuters) - Frustrados com o fato de que o presidente Barack Obama ainda não cumpriu a promessa de reformular o sistema de imigração nos Estados Unidos, os hispânicos norte-americanos estão alertando para que ele apresente o projeto este ano ou enfrente as consequências nas eleições parlamentares em novembro.

Reuters |

Dezenas de milhares de latinos planejam realizar uma manifestação em Washington no domingo, numa advertência de que o apoio deles a Obama e aos democratas - que tentarão manter a maioria em ambas as casas do Congresso - depende dessa questão.

O evento, no entanto, poderá ser ofuscado por uma votação no mesmo dia na Câmara sobre o projeto de lei da reforma na saúde, que seria o principal feito de Obama até agora.

Em 2008, Obama beneficiou-se com uma enorme votação dos hispânicos, movidos pela promessa de reforma na imigração que daria a milhões de imigrantes ilegais uma via para a cidadania norte-americana.

Mas o projeto sofreu uma desaceleração em razão do investimento de Obama na reforma da saúde, nos esforços para reviver a economia e a resistência no Congresso depois de uma reestruturação na imigração ter sido torpedeada em 2007 no governo do presidente republicano George W. Bush.

Com a aproximação das eleições de novembro, os analistas dizem que o tempo está se esgotando para tratar dessa questão ainda este ano.

Embora se acredite que seja improvável que os hispânicos transfiram seu apoio aos republicanos, que combatem uma reforma da imigração sem a repressão aos imigrantes ilegais, eles poderiam prejudicar os democratas com um baixo comparecimento nas urnas.

"Ainda estamos interessados em ver os democratas tendo sucesso e o sr. Obama obter sucesso", disse Jorge-Mario Cabrera, da Coalizão para os Direitos Humanos dos Imigrantes de Los Angeles, que enviará delegados à marcha.

"No entanto, também estamos dizendo ao Congresso e ao presidente que essa promessa em particular é tão essencial ao bem-estar de nossa comunidade, de nossas famílias e de nossa nação que, se não for cumprida, nós nos lembraremos disso nas eleições de novembro", afirmou ele.

A imigração é uma questão amplamente debatida nos EUA, onde cerca de 10,8 milhões de imigrantes vivem e trabalham ilegalmente e onde os hispânicos, o maior grupo de imigrantes, são um grupo de eleitores que cresce rapidamente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG