PHOENIX, EUA (Reuters) - Os latino-americanos se tornaram uma força eleitoral importante para o democrata Barack Obama na eleição de terça-feira e contribuíram para sua vitória em Estados-chave do país, mostraram pesquisas de boca-de-urna. Segundo a rede CNN, 66 por cento dos latinos votaram pelo senador Obama, que se tornará o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos, sendo que 32 por cento apoiaram o rival republicano e senador pelo Estado do Arizona, John McCain.

Os latino-americanos são um grupo crucial no cenário eleitoral norte-americano que representa 15 por cento da população dos Estados Unidos e 9 por cento dos votantes. Esperava-se que o grupo tivesse um papel-chave em Estados "pêndulos" que Obama venceu na terça-feira, incluindo Nevada, Colorado, Novo México e Flórida.

A pesquisa de boca-de-urna da CNN também mostrou que 76 por cento dos latinos em Nevada votaram por Obama, 73 por cento no Colorado e 69 por cento no Novo México.

Na Flórida, onde o apoio aos republicanos tem sido tradicionalmente mais forte na comunidade cubana, Obama venceu 57 por cento dos votos dos latinos.

Em 2004, o presidente George W. Bush obteve cerca de 40 por cento do voto dos latinos, um recorde republicano, quando derrotou o democrata John Kerry.

Pesquisas de opinião divulgadas no dia da eleição mostraram que os latinos republicanos sofreram um abalo com o debate nacional acirrado sobre imigração e crise econômica.

(Reportagem de Tim Gaynor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.