Latino-americanos apontam Lula e Obama como os melhores líderes

Pesquisa Latinobarómetro indica que entrevistados em 18 países da América Latina consideram Brasil como liderança regional

Reuters |

Os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e dos EUA, Barack Obama, são os líderes mais bem avaliados na América Latina, enquanto o ex-líder cubano Fidel Castro e o venezuelano Hugo Chávez são os mais mal avaliados, revelou na sexta-feira uma pesquisa do Latinobarómetro.

Em uma escala em que os melhores recebiam qualificação 10 e os piores, 0, Lula e Obama empataram com 6,3 de média na avaliação dos líderes da região, seguidos pelo rei Juan Carlos da Espanha, com 5,8. Mais abaixo ficaram Mauricio Funes, presidente de El Salvador; o primeiro-ministro espanhol José Luis Rodríguez Zapatero e o presidente mexicano, Felipe Calderón, com avaliação 5,6 cada.

AP
Os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e dos EUA, Barack Obama
Quando a pergunta é sobre qual o país é líder da região, o Brasil, assim como em anos anteriores,  sobressai-se sobre os restantes com 19%, seguido pelos EUA e Venezuela, ambos com 9%.

"O país líder na região é, novamente e sem dúvida, o Brasil. Sua imagem como país e a imagem de seu presidente são as melhores da região. O Brasil alcança os EUA e seu presidente e se converte em líder da população da América Latina, mais além de sua liderança internacional," diz a pesquisa.

A Latinobarómetro, uma ONG com sede em Santiago, explicou que a pesquisa foi feita com 20.204 entrevistados, entre 4 de setembro e 6 de outubro, com amostras representativas de 100% da população em 18 países da região.

Democracia na região

A pesquisa indica que a população da região avalia o Estado da democracia em seus respectivos países de forma menos crítica que a de outras partes do mundo. Os países da região ficaram com "nota" média de 6,5 em uma escala de 0 a 10, na qual Cuba figura como o país menos democrático, com 3,5.

"Cuba foi claramente castigada, triplicou a porcentagem dos que acham que o país não é democrático", aponta o Latinobarómetro. "Interpretamos isso como consequência dos problemas de direitos humanos de 2010."

Quanto ao embargo que afeta a Ilha, 64% concordam com Cuba e desejam o fim da medida. Apenas 10% dos entrevistados disseram ser a favor da manutenção do embargo dos EUA.

A criminalidade aparece como uma das principais ameaças à democracia e como um dos maiores problemas citados nas respostas espontâneas dos latino-americanos. O estudo destacou também que um dos principais problemas da América Latina é a "desigualdade". A região tem a pior distribuição de riqueza, comparada com outras regiões do mundo.

É no Brasil e no Uruguai que se registram as opiniões mais favoráveis sobre o estado atual da economia: 38% e 36% dos entrevistados, respectivamente, disseram que a situação econômica de seu país é muito boa ou boa.

Em contraste, há cinco países em que essa percepção favorável fica em porcentagens inferiores a 10%: Nicarágua (9%), El Salvador (9%), México (8%), República Dominicana (7%) e Guatemala (5%).

    Leia tudo sobre: brasileualulabarack obamalatinobarómetro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG