Larijani pede que EUA e UE não interfiram em assuntos iranianos

Teerã, 16 jun (EFE).- O presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, criticou hoje os Estados Unidos e a União Europeia (UE) por suas opiniões sobre as polêmicas eleições presidenciais iranianas, e disse que a comunidade internacional não deve interferir nos assuntos internos do Irã.

EFE |

Em entrevista publicada pela agência oficial de notícias "Isna", Larijani advertiu a Washington que sua postura não coincide com seu suposto desejo de mudar sua política em direção ao Irã.

"Não é necessário que se preocupem com o Irã e suas eleições. É mais importante que resolvam seus fracassos políticos e de segurança na região", disse o presidente do Parlamento, considerado um dos assessores mais próximos do líder supremo da revolução iraniana, Ali Khamenei.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse ontem que os iranianos devem decidir quem serão seus líderes e se mostrou preocupado com as manifestações ocorridas após a vitória eleitoral do presidente Mahmoud Ahmadinejad, e nas quais morreram pelo menos sete pessoas.

Larijani foi especialmente duro com os países europeus, e solicitou que encerrem sua "conduta de assédio" e que não fiquem em evidência por interferir nos assuntos do Irã.

Os resultados das eleições presidenciais iranianos estão sendo questionados depois de o principal candidato da oposição, Mir Hussein Moussavi, denunciar uma suposta fraude.

Hoje, o Conselho de Guardiães, principal autoridade em matéria eleitoral no Irã, assegurou que está disposto a realizar uma nova apuração dos votos, mas apenas nas urnas em que haja suspeita de irregularidades. EFE jm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG