Lamy pede a países esforços para acordo que reative economia mundial

Genebra, 21 jul (EFE).- O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy, pediu aos países que negociarão esta semana, em Genebra, que se esforcem para alcançar um acordo que impulsione o crescimento econômico, frente à crise devido às turbulências financeiras e aos preços de alimentos ou do petróleo.

EFE |

Lamy inaugurou a reunião ministerial de cerca de 30 membros da OMC, que esta semana tentarão salvar a Rodada de Doha - iniciada em 2001 -, cujo objetivo é a liberalização do comércio mundial.

"Estamos no início de uma viagem costa acima", disse o diretor-geral da OMC, que disse que está ao alcance das mãos conseguir um pacto na abertura de mercados agrícolas e industriais, e dar "um passo adiante" para conseguir que a Rodada de Doha termine este ano.

Lamy ressaltou que é necessário conseguir um acordo "equilibrado", que seria o "apoio mais forte" diante das ameaças atuais à economia mundial: os preços dos alimentos, da energia e as turbulências financeiras.

"Não devemos deixar escapar esta oportunidade", disse o diretor-geral da OMC.

A reunião terá negociações intensas e sessões restritas, a fim de aproximar posições e definir textos sobre a abertura de mercados em agricultura e bens industriais.

No caso de a reunião terminar com sucesso, será fixada uma agenda e os detalhes serão definidos mais adiante, com o objetivo de fechar a rodada no final do ano.

"Resta muito a fazer", disse Lamy, que acrescentou que é preciso passar das palavras aos fatos.

Na negociação, os países em desenvolvimento reivindicam à União Européia (UE), Estados Unidos e outros membros ricos que reduzam os subsídios à agricultura e abram seus mercados, e a UE exige aos estados emergentes que cedam na abertura às exportações industriais.

Outro ponto acrescentado à agenda é a disputa entre a UE e a América Latina, devido às tarifas européias à importação de bananas, que poderia dificultar ainda mais um pacto sobre agricultura. EFE ms/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG