Ladrões roubam iate e jogam vítimas no mar na Itália

ROMA - Um grupo de homens armados invadiu um iate na costa de Nápoles, sul da Itália, na última quinta-feira, e, após roubarem dinheiro e joias, jogaram os ocupantes no mar e levaram a embarcação, informou a imprensa italiana. O assalto ocorreu por volta das 20h de quinta-feira diante da colina de Posilipo, uma das áreas mais elegantes da cidade, a poucos metros do palácio Rosebery, residência oficial do presidente da República em Nápoles.

BBC Brasil |

Segundo a imprensa local, os ladrões usaram técnicas típicas de pirataria no assalto. Três homens a bordo de um barco de borracha aproximaram-se do iate. Dois deles subiram na embarcação e o outro foi embora dirigindo o bote usado no ataque.

Armados, os homens teriam roubado dinheiro, cartões de crédito, joias e celulares das duas únicas pessoas a bordo, Antonio Fortunato, dono de uma concessionária de automóveis e um funcionário dele, Antonio Chirico.

Após terem levado dinheiro e joias, os ladrões teriam jogado as vítimas no mar, com duas boias, e foram embora levando o iate, segundo a imprensa napolitana.

Resgate

Antonio Fortunato e Antonio Chirico ficaram por cerca de uma hora e meia no mar, até serem encontrados por remadores de um clube de Posilipo que estavam treinando no momento. As vítimas foram levadas para a praia mais próxima e, em seguida, para o clube, onde receberam os primeiros socorros.

"Eles estavam terrivelmente abalados", disse o remador Guilherme Cannone. Antonio Fortunato teria dito aos remadores que estava passeando com o barco, em ritmo desacelerado, para apreciar o pôr do sol quando os assaltantes invadiram o iate.

"Depois, foram jogados no mar e, quando um deles disse que não sabia nadar, (os ladrões) jogaram as boias e foram embora em grande velocidade", afirmou o remador.

O caso foi denunciado à polícia costeira e à polícia militar de Nápoles, que ainda não encontraram o barco roubado ou os suspeitos. As buscas estão sendo feitas não apenas em Nápoles, mas também em outras regiões costeiras da Itália.

De acordo com o jornal Corriere della Sera, a técnica dos assaltantes é parecida com a usada em ataques em anos anteriores. Segundo o jornal, em agosto de 2005, bandos atacaram barcos de luxo ancorados perto das ilhas de Ischia e Capri, próximas a Nápoles.

"Aproximavam-se quando as luzes dos barcos estavam apagadas, assaltavam as pessoas a bordo e ainda levavam os barcos embora", diz o jornal.

Leia mais sobre: Itália

    Leia tudo sobre: corriere della seraitálianapoles

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG