Laboratório da Califórnia clonará cão de resgate do 11 de setembro

Cientistas querem clonar um cão que ajudou a localizar sobreviventes em meio aos escombros do World Trade Center em Nova York após os ataques de 11 de setembro de 2001, informou um laboratório com sede na Califórnia que realizará a operação.

AFP |

Trakr, um pastor alemão que vive com seu dono James Symington em Los Angeles, foi escolhido pela BioArts International o cão mais "digno de ser clonado", em uma competição que oferecia ao proprietário do animal a oportunidade de reproduzir seu mascote.

Symington afirmou que ele e Trakr estiveram entre as primeiras equipes de resgate que chegaram ao "Marco Zero" e conseguiram localizar o último sobrevivente cerca de nove metros sob os escombros.

O pastor alemão, que hoje tem 15 anos, não pode usar suas patas traseiras, devido a um problema neurodegenerativo. Segundo a BioArts, os especialistas acreditam que a doença pode estar ligada à exposição a gases tóxicos na área do World Trade Center.

"Trakr significa tudo para mim", disse Symington. "Saber que uma parte dele vai continuar vivendo é algo que não posso expressar em palavras. É o maior presente que já recebi", acrescentou.

No próximo mês, a BioArts levará uma amostra de DNA de Trakr ao laboratório de sua sócia Sooam Biotech Research Foundation, na Coréia do Sul, e o clone poderá estar pronto até o final do ano.

ar/dm

    Leia tudo sobre: clone

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG