Laboratório confirma que menor equatoriano está com gripe

Quito, 21 mai (EFE).- Os exames feitos em um laboratório de Atlanta reconfirmaram como positivo o primeiro caso de gripe suína no Equador, revelado na semana passada, em um menor equatoriano que retornou dos Estados Unidos, informou hoje o Ministério da Saúde equatoriano.

EFE |

Esta reconfirmação aconteceu no momento em que há uma disputa entre o Ministério da Saúde e os pais do menor, que reclamam de não teria sido informados oportunamente que a criança estava com o vírus A (H1N1).

Os pais do menor, que vive na cidade de Guayaquil, afirmaram que nunca receberam uma prova do contágio do menino e desmentiram as declarações da ministra da Saúde, Caroline Chang, que disse na época que a família "não cumpriu o isolamento obrigatório em nível domiciliar" e levou a criança à escola.

"Em nenhum momento nos deram a ordem, nem verbal nem escrita, de que nosso filho tivesse que ser isolado, nem que tenha que manter repouso", disse Adriana Elis, mãe do menino.

Chang indicou que seu escritório foi informado hoje que as amostras enviadas aos Estados Unidos do primeiro caso, apresentado em 15 de maio, deram resultado positivo.

"Temos a reconfirmação", disse a ministra, após ratificar a confiança dos estudos em nível nacional que alertaram do caso e graças aos quais foram tomadas "as medidas preventivas, oportunas e imediatas, que nos permitiu evitar que aumentassem os casos no colégio" onde estudava o menor, disse.

Além disso, acrescentou que os outros sete casos de gripe suína (seis em Guayaquil e um em Quito) revelados ontem também foram enviados aos Estados Unidos para estudos correspondentes.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE sm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG