Kuwaitiano acusado do seqüestro de três judeus brasileiros em Varsóvia

Um kuwaitiano que na segunda-feira tomou brevemente como reféns três judeus brasileiros em um hotel de Varsóvia foi acusado de seqüestro pelas autoridades polonesas, um crime que pode submetê-lo a uma condenação de 5 anos de prisão, informaram fontes policiais nesta terça-feira.

AFP |

O homem, identificado como Mohamed A., de 23 anos, estava bêbado. "Se declarou culpado", informou à AFP Marcin Szyndler, porta-voz da polícia em Varsóvia.

O kuwaitiano se trancou na segunda-feira com três jovens judeus brasileiros em um quarto de hotel, assegurando que tinha explosivos e que iria detoná-los.

A polícia conseguiu libertar os reféns rapidamente e dominou o agressor, sem encontrar explosivos. Como precaução, o hotel de quatro estrelas foi evacuado e uma unidade antiterrorista foi mobilizada no local.

Os reféns, todos de 16 anos, estavam na Polônia para participar, na quinta-feira passada, da marcha organizada todo ano até o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, no sul do país, em memória das vítimas dos alemães na Segunda Guerra Mundial.

Segundo a agência polonesa PAP, o seqüestrador é parente do embaixador do Kuwait na Polônia, mas seu grau de parentesco não foi divulgado. "Demonstrou arrependimento e se ofereceu para pagar os custos das operações de segurança", ressaltou Szyndler.

mrm/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG