Kung fu melhora autoestima de monjas no Nepal

Monjas budistas do mosteiro Amitabha Drukpa, localizado perto de Katmandu, capital do Nepal, estão aprendendo a lutar kung fu. A prática foi introduzida ao mosteiro há dois anos pelo líder da seita budista Drukpa, Gyalwang Drukpa.

BBC Brasil |

Tradicionalmente as monjas têm um papel mais servil, comparado ao dos monjes. É comum que elas cozinhem e façam a limpeza para eles.

Mas, para as mulheres do mosteiro, o kung fu é uma forma de melhorar a autoconfiança.

As monjas dizem que a prática ajuda a fortalecer o corpo e a aumentar sua segurança.

Além de aprender a ter mais disciplina e a se defender, elas dizem que o kung fu também contribui para uma vida mais saudável.

O lider da seita diz que quer promover o kung fu em outras partes do Himalaia e que, assim, mulheres que normalmente estão um passo atrás dos colegas homens podem tomar a dianteira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG