Krugman defende resgate de países emergentes e aumento de déficit dos EUA

Nova York, 14 nov (EFE).- O Prêmio Nobel de Economia Paul Krugman apostou hoje na criação de um plano de resgate dos países emergentes e pela renúncia temporária dos Estados Unidos ao objetivo de conter o déficit público e a inflação.

EFE |

Sobre a cúpula dos Chefes de Estado e de Governo do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países ricos e principais emergentes) deste fim de semana em Washington para tentar sentar as bases de uma reforma do sistema financeiro internacional, Krugman expressou hoje sua confiança em que dela saia uma declaração geral que defenda o impulsionamento do crescimento econômico.

"Não vamos tirar um compromisso de todos os países dizendo que estão dispostos a gastar 3% do PIB para impulsionar a economia, mas talvez sim uma declaração de intenções", acrescentou Krugman durante uma entrevista coletiva em Nova York.

"Estamos nos centrando na crise das economias ricas, mas também vai ser preciso um plano de resgate para os mercados emergentes", defendeu Krugman, destacando o poder de expansão geográfica dos problemas financeiros atuais.

Sobre os Estados Unidos, afirmou que deve esquecer temporariamente os objetivos de déficit e inflação, e apostar no gasto público em massa. EFE mgl/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG