Kouchner faz 2ª visita surpresa ao Mali para discutir sequestro

Bamaco, 13 fev (EFE).- O ministro de Exteriores da França, Bernard Kouchner, chegou hoje a Bamaco (capital do Mali) em uma nova visita para tratar do sequestro do francês Pierre Camatte, ameaçado de morte pela Al Qaeda, informaram à Agência Efe fontes governamentais.

EFE |

Essa é a segunda viagem não-anunciada de Kouchner à capital do Mali, depois da realizada no início de fevereiro, poucos dias depois que o grupo terrorista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) fixou um segundo e "definitivo" ultimato sobre o cidadão francês, o primeiro estrangeiro sequestrado em Mali.

Camatte foi capturado na cidade de Menaka, na região de Gao, no norte do país, em 26 de novembro passado, três dias antes que os voluntários espanhóis Alicia Gámez, Roque Pascual e Albert Vilalta serem sequestrados na Mauritânia e levados ao norte do Mali.

A AQMI, braço da Al Qaeda no norte da África, exigiu em troca da libertação do francês a libertação de quatro de seus ativistas presos em Bamaco: um da Argélia, dois da Mauritânia e um de Burkina Fasso. O prazo definido pela organização é o próximo dia 20.

Fontes do Governo malinês consideram muito improvável libertar esses presos, capturados no ano passado depois que vários indivíduos armados mataram um coronel do Exército em sua casa de Tombuctu.

Essa ação foi considerada a primeira da AQMI no Mali, onde seus ativistas buscavam até agora refúgio no deserto do norte do país, mas também organizavam atentados.

O último comunicado da Al Qaeda fixou também um ultimato até o próximo 1º de março para libertar um casal italiano sequestrado na Mauritânia em 18 de dezembro, mas não fez referência aos voluntários espanhóis.

Segundo indicaram à Agência Efe fontes do Governo malinês próximas à negociação, os espanhóis estariam em mãos da facção da AQMI dirigida pelo argelino Mokhtar Belmokhtar, enquanto o francês e os italianos estariam em poder da facção mais radical do grupo, liderada pelo também argelino Abu Zeid.

As mesmas fontes afirmaram que confiam em uma resolução positiva do sequestro dos três voluntários espanhóis.

Na quinta-feira passada, o jornalista Serge Daniel, correspondente de veículos midiáticos franceses em Bamaco, assegurou ter visto um vídeo - apresentado por um dos mediadores do Mali na negociação como "prova de vida" - no qual apareciam os três espanhóis em aparente bom estado de saúde.

As imagens mostravam Gámez, Pascual e Vilalta sentados no deserto junto a dois homens de pé com turbante e armados com fuzis kalashnikov, segundo Daniel. EFE jg/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG