Kosovo segue sem reconhecimento do Brasil e com pouco apoio fora do Ocidente

Pristina, 16 fev (EFE).- Um ano após sua proclamação unilateral de independência, o Kosovo é reconhecido por 54 Estados - a maioria ocidentais -, mas encontra pouco respaldo entre os países muçulmanos, na América Latina, na África e na Ásia.

EFE |

Em 17 de fevereiro de 2008, líderes de maioria albano-kosovar declararam a independência seguindo a pauta do chamado "plano Ahtisaari", criado pelo enviado da ONU e prêmio Nobel da Paz do ano passado Martti Ahtisaari.

Tal plano contava com o apoio de países ocidentais que mais tarde reconheceriam o autoproclamado Estado, como Estados Unidos, Canadá, Austrália e 22 dos 27 países da União Europeia (UE), entre eles Alemanha, França, Reino Unido e Itália.

No entanto, emergentes como Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul não fizeram o mesmo. Assim como Espanha, Romênia, Grécia, Eslováquia e Chipre, que resistem a reconhecer a independência kosovar dentro da própria UE.

A Rússia foi forte aliada da Sérvia dentro do Conselho de Segurança (CS) da ONU, onde a China, outra potência com direito a veto no órgão, também se fez ouvir a respeito.

A grande maioria do continente asiático, com exceção de Japão, Coreia do Sul, Afeganistão e Malásia - aliados dos EUA -, não reconheceu a independência do Kosovo.

Os reconhecimentos na América Latina também não foram maciços. A Costa Rica foi o primeiro Estado a reconhecer o Kosovo na região, seguida de Peru, Colômbia e Panamá.

Na África, a situação é muito pior, pois salvo Libéria, Serra Leoa, Burkina Fasso e Senegal, todos evitaram reconhecer a declaração kosovar.

No entanto, a maior decepção para o Kosovo, de maioria muçulmana, foi o pequeno apoio que a independência recebeu entre os países que integram a Organização da Conferência Islâmica (OCI).

Dos 57 Estados da OCI, só oito reconheceram o Kosovo: Turquia, Albânia, Emirados Árabes Unidos, Afeganistão, Serra Leoa, Senegal, Burkina Fasso e Malásia.

As autoridades de Pristina afirmaram que o reconhecimento de 54 dos 192 Estados da ONU é importante por sua "qualidade", ressaltando que os países que reconhecem o Kosovo respondem por 71% da economia do planeta.

O Governo kosovar está perto de abrir 18 embaixadas nos países mais importantes que reconheceram sua soberania, para impulsionar laços diplomáticos. EFE ll/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG