Kosovo nega que independência tenha incentivado Ossétia do Sul

Pristina, 12 ago (EFE) - A autoproclamada independência do Kosovo não pode ser utilizada como incentivo a outras regiões, inclusive à Ossétia do Sul, disse hoje o presidente da ex-província sérvia, Fatmir Sejdiu.

EFE |

Sejdiu negou qualquer relação entre o processo de independência proclamada pelo Kosovo da Sérvia e o conflito separatista na Geórgia.

O presidente kosovar respondeu, assim, a insinuações feitas tanto pelo Governo sérvio quanto pelo russo de que a situação de ambas as regiões e a declaração unilateral de independência do Kosovo tenham aberto portas para processos separatistas em outras áreas.

Sejdiu assegurou que o caso do Kosovo é "único" em todos os aspectos: "histórico, legal, político e constitucional".

"O Kosovo não pode ser comparado e não se podem estabelecer paralelismos com nenhuma outra parte do mundo" declarou à imprensa.

Além disso, o líder kosovar argumentou que este fato foi recolhido ao plano formulado pelo ex-enviado especial das Nações Unidas à região, Martti Ahtisaari, e que serviu de base para a declaração de soberania de fevereiro.

Desde esta data, 45 países, entre eles Estados Unidos e a maioria dos membros da União Européia (UE), reconheceram a independência do Kosovo.

No entanto, a Sérvia continua considerando a região como parte de seu território, ao mesmo tempo em que a Rússia bloqueia, no Conselho de Segurança, o reconhecimento oficial por parte da ONU.

Nesse sentido, Sejdiu disse que "aqueles que se opõem à independência do Kosovo querem caracterizá-lo como um precedente", e acrescentou: "Os argumentos são completamente diferentes".

O líder kosovar fez um apelo à paz e lamentou pelas vítimas que o conflito na Geórgia causou.

No entanto, destacou que o processo de reconhecimento de independência do Kosovo segue seu próprio caminho e não está vinculado ao de outras regiões. EFE am/fh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG