Buenos Aires, 1 jul (EFE).- O secretário de Transportes da Argentina, Ricardo Jaime, fundamental na desapropriação da Aerolíneas Argentinas de um grupo espanhol, apresentou hoje sua renúncia ao cargo à presidente Cristina Kirchner, que está estudando se aceita.

Trata-se do segundo funcionário que renuncia após a derrota do Governo nas eleições legislativas do domingo passado, já que na segunda-feira Graciela Ocaña deixou de ser a ministra da Saúde.

Jaime, de 54 anos e considerado "homem forte" do kirchnerismo, era um dos funcionários mais questionados do Governo, entre outras coisas pela polêmica forma como conduzia os milionários subsídios ao transporte público.

O funcionário tinha assumido a Secretaria de Transportes em 2003, quando chegou ao poder o peronista Néstor Kirchner, marido e antecessor de Cristina na Presidência.

No cargo, teve participação central no processo de desapropriação da Aerolíneas Argentinas, na gestão das ferrovias e na relação com as fortemente subsidiadas empresas de transporte.

Além da saída de Jaime, a imprensa local fala sobre uma possível renúncia do também polêmico secretário de Comércio Interior, Guillermo Moreno. EFE hd/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.