Kirchner deixa hospital sob recomendação de diminuir estresse

(atualiza com mais detalhes da saída de Kirchner do hospital e planos para a convalescença) Buenos Aires, 10 fev (EFE).- Com boa aparência, o ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner deixou hoje o hospital de Buenos Aires onde no domingo passado passou por uma cirurgia de emergência após uma obstrução na artéria carótida direita, com a recomendação médica de diminuir o nível de estresse.

EFE |

Uma hora e meia antes do previsto, o ex-líder, que governou o país entre 2003 e 2007, deixou em um automóvel oficial a clínica Los Arcos, situada no bairro de Palermo.

"Estou muito bem, nota dez", disse brevemente Kirchner a um grupo de jornalistas que aguardavam sua saída.

Vestido com uma camisa branca com listras azuis e uma jaqueta, o ex-presidente cumprimentou as pessoas que esperavam na saída da clínica e partiu rapidamente para a residência oficial de Olivos, nos arredores de Buenos Aires, onde lhe esperavam a esposa e sucessora na Presidência, Cristina Kirchner, e alguns ministros.

No domingo passado, Kirchner, de 59 anos, foi levado às pressas ao hospital Los Arcos, poucas horas após sofrer problemas de mobilidade na perna e no braço esquerdos.

Os médicos que estiveram a cargo da cirurgia de remoção de uma placa ulcerosa na carótida direita disseram que a operação foi um sucesso e estimaram uma rápida recuperação do ex-líder e atual deputado.

Nesta terça-feira, dada sua boa evolução, foi levado da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) a uma sala comum, onde esteve acompanhado permanentemente por sua esposa e seus filhos Máximo e Florencia.

Além da família, alguns aliados políticos do movimento peronista esperavam na porta do hospital com cartazes de apoio.

A imprensa local afirmou que Kirchner teria pedido aos médicos que o permitissem deixar a clínica o mais rápido possível e que teria previsto viajar à cidade de Calafate, na Patagônia, onde o casal presidencial tem uma chalé.

Segundo foi divulgado nas últimas horas, os médicos querem que Kirchner passe os próximos dias afastado das atividades formais. No entanto, pessoas próximas ao ex-presidente disseram que ele continuará com os planos para reassumir em março como líder do Partido Justicialista (PJ, peronista).

"Está tudo planejado para que reassuma em 10 de março", confirmou o governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli, em alusão a um ato que será realizado na província de Chaco, no norte do país.

No entanto, Víctor Caramutti, o cirurgião responsável pela cirurgia, comentou nesses dias que a afecção de Kirchner é "fruto da sociedade onde vivemos" e o aconselhou a "diminuir o nível de estresse".

Não será fácil para Kirchner seguir o conselho médico. O ex-presidente é considerado o "homem forte do país" e o responsável último pelas decisões mais importantes do Governo de sua esposa.

Além disso, ele cogita concorrer pelo bastão presidencial nas eleições de 2011. EFE cw/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG