Kirchner acusa neoliberais de deslegitimar Governos progressistas

Santiago do Chile, 14 nov (EFE).- O ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner acusou hoje os setores neoliberais e o poder econômico de tentar deslegitimar os Governos progressistas da América Latina.

EFE |

"Em nossos países temos enfrentamentos claros e concretos com os setores concentrados da economia e com os setores neoliberais, que não podem ganhar eleições e tentam tirar a legitimidade de movimentos regionais e populares que são capazes de encarar a transformação em nossa região", declarou Kirchner.

O ex-presidente argentino ressaltou que a América Latina se encontra atualmente em uma encruzilhada, onde deve escolher "se vai seguir sendo politicamente correta, ou se tem a capacidade transgressora de mudar as regras do jogo".

Kirchner criticou de forma dura a imprensa, acusando-a de "falta de ética" e de serem "empresas que servem a fins políticos".

Fora isso, fez um pedido para que se deixe de lado as pesquisas que prevêem um aumento da pobreza e variações negativas dos indicadores econômicos na região.

"Se tivéssemos nos guiado pelas consultoras, estaríamos perdidos nas montanhas", apontou Kirchner.

As declarações do ex-presidente foram feitas no Chile, onde ele participa do terceiro fórum anual progressista, organizado pela Fundação Chile 21. EFE gs/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG