Kim Jong-il está na China, segundo Coreia do Sul

Agência oficial sul-coreana diz que líder da Coreia do Norte visita cidade chinesa ao lado do filho e provável sucessor

iG São Paulo |

Reuters
Polícia bloqueia parte de rua que leva ao hotel Wusong, na cidade chilena de Jilin, onde Kim Jong-il estaria hospedado com o filho
O presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-il, teria chegado à China nesta quinta-feira, em sua segunda visita ao país neste ano. As informações foram dadas pelo governo da Coreia do Sul e divulgadas pela agência sul-coreana Yonhap.

Autoridades chinesas e norte-coreanas não deram informações sobre a visita, mas segundo a Yonhap, o líder estaria em Jilin, norte do país. Há rumores de que o líder estaria acompanhado do filho, Kim Jong-un, apontado como seu provável sucessor no cargo de presidente.

Segundo os analistas, Kim Jong-Un pode ser designado sucessor durante uma reunião de delegados do Partido Comunista em setembro, a terceira deste tipo desde a criação do Estado em 1948.

No início de maio, Kim Jong-il visitou a China por cinco dias e se reuniu com o presidente Hu Jintao. Na ocasião, a Coreia do Norte não informou oficialmente sobre a viagem de Kim à China até ele retornar a seu país, possivelmente para garantir a segurança durante a viagem em seu trem exclusivo, meio de transporte utilizado pelo líder em suas viagens oficiais.

A viagem do líder norte-coreano à China coincide com a visita do ex-presidente americano Jimmy Carter a Pyongyang desde a última quarta-feira, que tem o objetivo de conseguir a libertação de um cidadão dos Estados Unidos condenado a oito anos por entrada ilegal na Coreia do Norte.

A imprensa sul-coreana especulava sobre a possibilidade de Carter se reunir nesta quinta com Kim Jong-il antes de retornar aos EUA com Aijalin Mahli Gomes, de 30 anos, detido na Coreia do Norte em 25 de janeiro por entrar ilegalmente no país através da fronteira com a China e condenado em abril a oito anos de trabalhos forçados.

A agência norte-coreana "KCNA" informou nesta madrugada que, até o momento, Carter se reuniu apenas com o "número dois" do regime norte-coreano, Kim Yong-nam. Em agosto de 2009, Bill Clinton se reuniu em Pyongyang com Kim Jong-il para conseguir a libertação de duas jornalistas americanas que tinham sido detidas na fronteira com a China e condenadas a 12 anos de trabalhos forçados.

Com AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: kim jong-ilchinacoreia do nortecoreia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG