Tóquio, 5 dez (EFE).- O estado de saúde do líder norte-coreano, Kim Jong-il, é pior do que se pensava em Washington, onde já estariam se preparando para sua morte, informou hoje a edição on-line do jornal japonês Yomiuri, que cita fontes dos serviços de inteligência americanos.

O Ministério de Assuntos Exteriores do Japão disse não ter nenhuma informação a respeito, e não quis comentar a informação.

Segundo as fontes citadas pelo jornal japonês, o líder norte-coreano recebeu tratamento de equipes médicas procedentes da China e da França.

O Governo dos EUA, segundo o jornal, achava até há pouco tempo que o estado de saúde de Kim estava melhorando, mas, após analisar diversas informações, chegou à conclusão de que está em situação grave.

Não há informações sobre se Kim pode tomar decisões durante as negociações do desarmamento nuclear norte-coreano, mas, segundo as fontes do "Yomiuri", existem "poucas possibilidades" de que volte a trabalhar como antes.

Segundo estas fontes, há movimentos ativos na Coréia do Norte entre o corpo militar, o partido e a família Kim, que estão buscando novo sistema para governar em conjunto.

Para justificar esta análise, indicam que, "se existisse possibilidade de recuperação, não existiriam movimentos deste tipo", por isso se prevê a possibilidade da morte de Kim em breve.

As especulações sobre o estado de saúde do líder norte-coreano, de 66 anos, cresceram desde que ele parou de aparecer em público. O último comparecimento foi em 14 de agosto.

Em 9 de setembro, o líder não foi ao desfile militar com o qual a Coréia do Norte, regime comunista com potencial nuclear, comemorou os 60 anos de sua fundação, o que gerou várias especulações sobre a saúde de Kim.

Fontes dos serviços de inteligência dos Estados Unidos disseram então que o líder norte-coreano, que ainda não tem sucessor conhecido, tinha sofrido um derrame cerebral. EFE yk-fab/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.