Khalil Ibrahim, líder rebelde de Darfur, está morto, diz Sudão

Ele liderava um dos mais poderosos movimentos armados do País e dizia que não-árabes eram discriminados pelo governo

Reuters |

As forças armadas do Sudão mataram Khalil Ibrahim, líder do mais poderoso grupo rebelde de Darfur, disse a mídia estatal neste domingo, em um severo golpe para os insurgentes da remota região ocidental em sua guerra de quase uma década com Cartum.

Reuters
Khalil Ibrahim, líder do mais poderoso grupo rebelde de Darfur
Independência recente: Avião bombardeia campo de refugiados no Sudão do Sul

Acordo: Sudão e Sudão do Sul firmam compromisso de evitar nova guerra

Embaixador do Brasil: Desafio de sul do Sudão será infraestrutura

O conflito de Darfur eclodiu desde o momento em que insurgentes majoritariamente não-árabes pegaram em armas em 2003, dizendo que o governo central havia os excluído da estrutura de poder político e econômico e que estava favorecendo as tribos árabes locais.

A Corte Penal Internacional (CPI) emitiu, em 2009, uma ordem de prisão contra o presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, por crimes de guerra e crimes contra a humanidade em Darfur. Bashir nega as acusações - entre as quais de orquestrar uma campanha de violência que matou 300 mil pessoas e obrigou 2,5 milhões a abandonar seus lares.

Khalil Ibrahim, chefe do Movimento Justiça e Igualdade (JEM, na sigla em inglês), emergiu como um dos mais poderosos comandantes rebeldes. Em 2008, seus combatentes cruzaram o árido terreno ocidental e lançaram um ataque-surpresa sobre Cartum, matando mais de 200 pessoas.

As autoridades do Sudão empreenderam uma longa caçada a Ibrahim, que havia se refugiado na vizinha Líbia, sob o governo de Muamar Kadafi , até que a deposição do líder privou-o de seu abrigo seguro.

O porta-voz das forças armadas do Sudão, Al-Sawarmi Khalid, disse que as forças do governo mataram Ibrahim na manhã deste domingo quando ele tentava cruzar a fronteira para o Sudão do Sul , que se separou em julho sob um acordo de paz de 2005, que encerrou uma guerra separatista que durou décadas.

null

    Leia tudo sobre: sudãosudão do sulKhalil IbrahimDarfur

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG