Kerry diz que China apoiará decisão da ONU sobre Coreia do Norte

Pequim, 28 mai (EFE).- A China apoiará a decisão que as Nações Unidas adotarem com relação ao segundo teste nuclear da Coreia do Norte, indicou hoje o presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado americano, John Kerry, em entrevista coletiva em Pequim.

EFE |

"A posição da China é absolutamente clara. A China se opõe à conduta da Coreia do Norte, e apoia os EUA e o resto dos membros das conversas de seis lados para encontrar uma solução para o diálogo", disse Kerry.

O diálogo multilateral, do qual participam as duas Coreias, EUA, Rússia, Japão e China, começou em 2003. Em 2007, um ano depois do primeiro teste nuclear norte-coreano, conseguiu o compromisso de Pyongyang de desmantelar seus reatores em troca de reconhecimento diplomático e combustível.

No entanto, desde o ano passado, e coincidindo com uma suposta doença do líder Kim Jong-il e a mudança de Governo nos Estados Unidos, a Coreia do Norte decidiu retomar seu programa nuclear, por isso o mecanismo de diálogo está em ponto morto.

Kerry assegurou que os líderes chineses foram muito claros e "se comprometeram em buscar uma solução ao diálogo".

Segundo o senador americano, o ministro de Assuntos Exteriores chinês, Yang Jiechi, também se mostrou de acordo em que as ações da Coreia do Norte são errôneas e podem ter consequências.

"A maneira de agir da Coreia do Norte é contraproducente. Manter seu programa nuclear não ajudará o país, e a única coisa que fará é aprofundar mais seu isolamento político e econômico", sentenciou Kerry.

O senador disse que a Coreia do Norte não precisa realizar um teste atômico para ter o compromisso dos EUA sobre um diálogo sério entre os dois países.

Além disso, Kerry reiterou que os EUA permanecem "abertos ao diálogo com a Coreia do Norte". EFE mmp/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG