Karzai reúne mais de 50% dos votos em meio a novos atentados no Afeganistão

O presidente Hamid Karzai já tem mais de 50% dos votos da eleição presidencial de 20 de agosto, segundo resultados praticamente definitivos, mas as suspeitas de fraude continuam crescendo e novos ataques talibãs continuam atingindo o país.

AFP |

O chefe de Estado, que conta com um apoio cada vez mais escasso da comunidade internacional que o instalou no poder há oito anos, reunia nesta terça-feira 54,1% dos votos, contra 28,3% para seu principal adversário, Abdullah Abdullah, segundo as contagens efetuadas em 91,6% dos colégios eleitorais do país.

Esta é a primeira vez que Karzai supera a marca dos 50% desde 25 de agosto, quando os primeiros resultados parciais foram publicados.

As autoridades eleitorais também anunciaram ter colocado "em quarentena" as urnas consideradas suspeitas em mais de 600 dos centros de votação, de um total de 25.450.

Os resultados de todos os colégios eleitorais devem ser divulgados na quinta-feira, mas eles somente se tornarão oficiais depois do fim das investigações da Comissão das queixas, que afirmou nesta terça-feira dispor de "provas evidentes" de fraudes e exigiu uma nova contagem em "vários centros de votação".

Entretanto, a grande diferença de votos entre Karzai e Abdullah parece impossibilitar a vitória do adversário do atual presidente. Para ganhar já no primeiro turno, é preciso mais de 50% dos votos.

O nível de participação ainda não foi revelado, mas é avaliado em apenas 30% ou 35%.

"A integridade destas eleições é fundamental para o Afeganistão e seus aliados internacionais, afirmou Kai Eide, representante especial da ONU no país, pedindo "o maior rigor" nas contagens e nas investigações de fraudes.

Os anúncios foram feitos poucas horas depois de dois ataques contra as forças internacionais em Cabul.

Na madrugada desta terça-feira, dois homens armados que atacaram a base americana de Camp Phoenix, nos arredores da capital afegã, foram mortos.

Um camicase matou pelo menos três civis e feriu dez pessoas, entre elas três soldados americanos e um belga, ao detonar seu carro-bomba diante da entrada da base militar aérea da Otan, no aeroporto de Cabul.

Um porta-voz talibã reivindicou imediatamente o ataque.

A violência também assola o resto do país, no momento em que a questão do reforço das tropas internacionais suscita uma hostilidade cada vez mais forte nos países ocidentais envolvidos no conflito.

Nesta terça-feira, dez soldados afegãos, quatro militares americanos e um policial afegão morreram em enfrentamentos na província de Kunar, no leste do país.

bur/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG