Karzai lamenta grande número de mortes civis no Afeganistão

O presidente afegão Hamid Karzai criticou as forças militares estrangeiras, que seriam responsáveis pelo elevado número de vítimas civis no âmbito de sua luta contra os insurgentes no Afeganistão, em uma entrevista publicada neste sábado pelo New York Times.

AFP |

"Não estou satisfeito com o número de vítimas civis, quero que terminem as perdas civis, quando me dizem que isso é difícil, não aceito tal argumento", declarou Karzai, que pressiona regularmente as forças de segurança para que sejam mais prudentes.

"A guerra contra o terrorismo não está nas aldeias do Afeganistão, a guerra contra o terrorismo está em outra parte a lá ela deveria ser conduzida", disse, em referência aos quartéis-generais do talibãs e da rede Al-Qaeda na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão.

As forças estrangeiras no Afeganistão, quase 50.000 soldados da Otan e 20.000 da coalizão internacional dirigida pelos americanos, são regularmente acusadas de provocar a morte de civis em seus combates contra os insurgentes.

Karzai pediu ainda uma maior independência para o país.

"Se o mundo quer ter sucesso no Afeganistão, isso acontecerá construindo um Estado afegão, não no atual estado de fragilidade", disse.

O mandato do presidente afegão, eleito em 2004, acaba em 2009. Karzai, que não descarta a possibilidade de um novo mandato, rebateu na entrevista as críticas de ineficácia de seu governo, destacando as "imensas dificuldades" que enfrenta.

dab/fb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG