Karzai é pressionado a aceitar segundo turno

Uma intensa atividade diplomática neste fim de semana tenta convencer o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, a aceitar a realização de um segundo turno das eleições presidenciais no país, segundo a BBC apurou. As negociações comandadas por altos funcionários internacionais acontecem em antecipação à publicação do relatório final da Comissão de Queixas Eleitorais (CQE), apoiada pela ONU, sobre as supostas fraudes ocorridas durante o primeiro turno, realizado no dia 20 de agosto.

BBC Brasil |

O relatório servirá como base para que a Comissão Eleitoral Independente (CEI) reveja então seus dados sobre a apuração da votação, provavelmente deixando a votação final de Karzai abaixo dos 50% necessários para vencer no primeiro turno.

Inicialmente a CEI havia anunciado o resultado final com 55% dos votos para Karzai e 28% para seu principal rival, Abdullah Abdullah.

Resistência
Membros do governo afegão e diplomatas internacionais dizem que o atual presidente resiste à ideia de enfrentar um segundo turno eleitoral.

O correspondente da BBC em Cabul Martin Patience observa que as denúncias de fraude sobre a votação de 20 de agosto provocaram um alto grau de incerteza política no país.

A discussão também acontece em meio aos debates nos Estados Unidos sobre um possível aumento da presença militar americana no país, com o envio de mais soldados.

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, e o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, telefonaram para Karzai e Abdullah na sexta-feira para debater a possível realização do segundo turno.

Fontes dos dois governos relataram à BBC que Clinton e Brown pediram a Karzai que aceite as conclusões do relatório da CQE.

O ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, e o senador americano John Kerry, presidente da comissão de relações exteriores do Senado americano, também estão em Cabul para encontros com Karzai e Abdullah.

'Vitória provável'
"É provável que eles vão concluir que o presidente Karzai chegou muito perto dos 50% mais um necessários para evitar um segundo turno", afirmou Hillary Clinton à rede CNN.

"Acho que podemos concluir que a probabilidade de ele vencer um segundo turno é bastante alta", afirmou.

Mas membros do governo dizem que Karzai estaria "furioso" com a possibilidade de mudança de quadro e ameaça atrasar ou mesmo bloquear as tentativas de realizar um segundo turno.

Sua posição parece ter o apoio da CEI. O porta-voz da organização diz que nem todas as conclusões das investigações da CQE devem ser implementadas, apesar do fato de que a CEI é constitucionalmente obrigada a obedecer as ordens da CQE.

O aparente confronto entre as duas organizações poderia até mesmo atrasar a divulgação oficial dos resultados programada para este fim de semana.

Se aprovado, um segundo turno entre Karzai e Abdullah poderia acontecer em duas semanas, apesar das preocupações com a segurança e com as dificuldades logísticas por conta da aproximação do inverno.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG