Karzai denuncia morte de civis em operação de forças estrangeiras

CABUL - O presidente afegão, Hamid Karzai, denunciou hoje a morte de dez civis, entre eles oito crianças, durante uma suposta operação militar das forças estrangeiras lançado ontem no leste do Afeganistão.

EFE |

Em comunicado, o Palácio Presidencial afegão informou que Karzai condena o ataque.

Segundo a Presidência afegã, a operação ocorreu no distrito de Narang, na província de Kunar. O comunicado não detalha se foi uma ofensiva por terra ou se as tropas estrangeiras bombardearam a região.

Como é habitual nos casos em que as autoridades têm informação de vítimas civis de ações militares das tropas internacionais, Karzai enviou uma delegação governamental ao local para investigar o ocorrido.

Segundo a agência afegã de notícias "AIP", os deputados que representam Kunar na Câmara Baixa do país abandonaram o plenário em protesto pela suposta morte dos civis, no que foram seguidos por alguns legisladores de outras províncias.

Um deles, Shahzada Shahid, ameaçou renunciar ao cargo de deputado e assegurou à AIP que, segundo lhe disse o chefe do distrito de Narang, as forças estrangeiras não fizeram nenhum bombardeio na região, mas os civis foram mortos a tiros.

Em comunicado, a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês), missão militar sob comando da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), citou as ofensivas lançadas durante as últimas 24 horas em províncias do sul e do leste afegão, mas não mencionou nenhuma operação em Kunar.

Há mais de um ano, Karzai faz frequentes denúncias de ataques das tropas internacionais que matam civis.

Segundo um relatório da ONU, 1.500 civis afegãos morreram nos primeiros oito meses de 2009, sendo 23% deles em ações militares das forças estrangeiras e afegãs, principalmente em bombardeios.

Em 4 de setembro deste ano, um ataque aéreo ordenado pelo comando alemão na província nortista de Kunduz deixou pelo menos 142 mortos, dezenas deles civis.

À espera do reforço de 30 mil soldados anunciado pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e dos 7 mil da Otan, há no Afeganistão atualmente mais de 100 mil militares estrangeiros.

A Otan disse hoje que forças afegãs e da Isaf foram atacadas por um grupo de 60 insurgentes no distrito de Bala Murghab, na província de Badghis, no oeste.

A Isaf não informou a nacionalidade dos soldados e nem se houve vítimas nas fileiras estrangeiras e afegãs ou entre os rebeldes, mas disse ter feito ataques aéreos na região.

    Leia tudo sobre: afeganistãoeua no afeganistãoterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG