Karzai defende eleições afegãs e pede que Ocidente não interfira

O atual presidente afegão, Hamid Karzai, saiu em defesa das eleições do Afeganistão nesta quinta-feira, ao mesmo tempo em que fez um apelo aos países ocidentais aliados para que não se envolvam na investigação das denúncias de fraude que poderiam prejudicar sua clara liderança.

AFP |

Dirigindo-se à imprensa pela primeira vez desde a votação do dia 20 de agosto, Karzai desmentiu acusações de fraude e disse que respeitará as investigações da Comissão Eleitoral Independente (IEC) e da Comissão de Reclamações Eleitorais (ECC), apoiada pela ONU.

"Os meios de comunicação informaram sobre fraudes massivas. Não foi tão grande. Se houve fraude, foi pequena. Acontece no mundo todo", declarou Karzai aos jornalistas, um dia depois de revelados resultados preliminares que dão a ele 54,6% dos votos.

"Se houve fraude, ela deve ser investigada, mas investigada de forma justa e sem preconceitos", afirmou o presidente afegão.

Suas declarações coincidem com um atentado cometido nesta quinta-feira por um terrorista suicida, que explodiu um veículo carregado de explosivos contra um comboio da Otan matando seis soldados italianos e dez civis afegãos.

No dia 20 de agosto, os afegãos votaram pela segunda vez em sua história.

A IEC, que foi acusada de favorecer Karzai, foi informando os resultados do pleito presidencial a conta-gotas, enquanto cresciam acusações de manipulação da votação a favor de Karzai.

mba-jm/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG