Karzai amplia vantagem no Afeganistão, mas pode haver 2º turno da eleição

CABUL - Os resultados parciais da eleição no Afeganistão divulgados neste sábado indicam que o presidente Hamid Karzai ampliou sua vantagem no pleito da semana passada, mas ainda não tem os 50% dos votos necessários para evitar a realização do segundo turno.

Reuters |

O país está em suspense desde a eleição de 20 de agosto, com os resultados oficiais chegando aos poucos. O lado de Karzai declarou vitória e seu principal rival, o ex-chanceler Abdullah Abdullah, alegou que ocorreram fraudes em grande escala na votação.

Contabilizados os votos de cerca de um terço das estações eleitorais, Karzai lidera a apuração, com 46,3 por cento dos votos, contra Abdullah com 31,3 por cento.

Os resultados mais recentes ampliam substancialmente a vantagem de Karzai, em relação aos números parciais anteriores, mas ainda sugerem que ele enfrentará um segundo turno, previsto para o início de outubro, caso nenhum candidato receba mais de 50 por cento dos votos do primeiro turno.

Os resultados vêm chegando em ritmo diferente das diferentes províncias, de modo que é difícil traçar previsões quanto aos resultados finais. É possível que alguns votos sejam descartados pelo organismo de fiscalização, que diz estar investigando mais de 2.000 acusações de fraude e abuso, das quais 270 suficientemente graves para poderem alterar o resultado final.

As províncias do sul do país, em sua maioria favoráveis a Karzai, estão atrasadas na apuração. É também nessas áreas que se concentram muitas das alegações de fraude e onde a violência e as ameaças do Taliban afastaram mais eleitores das urnas.

As autoridades ainda não divulgaram cifras quanto ao índice geral de participação dos eleitores. Com 35 por cento das zonas eleitorais contadas, foram contabilizados mais de 2 milhões de votos, sugerindo que o total pode ser de aproximadamente 6 milhões, embora as autoridades advirtam que esse número pode ser extrapolado.

A participação parece decepcionante em um país de 30 milhões de habitantes, com 15 milhões de eleitores estimados.

A eleição também é um teste à estratégia do presidente Barack Obama, que enviou milhares de soldados adicionais ao Afeganistão numa tentativa de reverter os avanços do Taliban. Hoje há mais de 100 mil soldados ocidentais no país, incluindo 63 mil americanos, metade dos quais chegaram este ano.

O primeiro-ministro britânico Gordon Brown fez uma visita não anunciada ao sul da província de Helmand no domingo, dizendo que quer que mais soldados afegãos participem do combate ao Taliban.

Leia mais sobre: eleição no Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistãoeleiçõeshamid karzai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG