Bruxelas, 22 set (EFE).- O ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic recusou hoje Melville Baird, um dos magistrados designados para julgá-lo no Tribunal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), ao considerar que é velho demais para desempenhar essa função.

Em uma nota dirigida à corte, Karadzic argumenta que Baird - de 69 anos - superou a idade de aposentadoria obrigatória fixada para os membros do Tribunal de Apelação de Trinidad e Tobago, a mais alta instância do país de origem do magistrado, e que, portanto, não pode mais fazer parte do tribunal que deve julgá-lo.

O ex-líder servo-bósnio defende que, segundo as regras do TPII, seus juízes devem ter as "qualificações requeridas em seus respectivos países para fazer parte das instâncias judiciais mais elevadas".

"Infelizmente, o juiz Baird é velho demais", afirma.

Karadzic, de 64 anos, afirma no comunicado que "os sexagenários são membros vitais e úteis da sociedade", mas lembra que "a lei é a lei".

"Se o doutor Karadzic não pode contar com que o tribunal siga seu próprio estatuto, então não tem nenhuma proteção perante arbitrariedades e caprichos neste processo", diz o texto assinado pelo próprio ex-líder servo-bósnio.

Além disso, o acusado solicitou ao TPII uma decisão rápida perante seu pedido, já que o julgamento está previsto para começar em 19 de outubro.

Karadzic enfrenta onze acusações de crimes de guerra e lesa-humanidade, entre eles genocídio, que teriam ocorrido durante a Guerra da Bósnia (1992-1995). EFE mvs/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.