O ex-líder político do sérvios da Bósnia, Radovan Karadzic, negou-se nesta terça-feira a pronunciar culpa ou inocência nos processos ante o Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPI), que o declarou inocente de ofício.

"Não me declararei nem culpado nem inocente. Este tribunal não tem o direito de me julgar", declarou Karadzic, que assume sua própia defesa.

"Então, em seu lugar, eu o declaro inocente", afirmou o juiz britânico Iain Bonomy, antes de suspender a sessão.

Esta foi a sétima aparição de Radovan Karadzic, de 63 anos, ante o TPI, desde sua prisão em julho de 2008, em Belgrado, depois de 13 anos foragido.

O TPI acusa Karadzic de genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade durante a guerra da Bósnia (1992-1995), que causou 100.000 mortos e 2,2 milhões de deslocados.

axr/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.