Karadzic é extraditado a Haia para ser julgado por crimes de guerra

Belgrado, 30 jul (EFE).- O suposto criminoso de guerra servo-bósnio Radovan Karadzic foi extraditado hoje de Belgrado ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), em Haia, para ser julgado das acusações de genocídio durante a guerra da Bósnia (1992-1995).

EFE |

Segundo a emissora pública sérvia de TV "RTS", o ex-líder político servo-bósnio deixou o país às 4h20 (23h20 de terça-feira em Brasília).

A agência sérvia "Tanjung" indicou que um comboio de quatro veículos 4x4 partiu do Tribunal de Belgrado às 3h45 (22h45 de terça-feira em Brasília) para escoltar Karadzic até o aeroporto da capital sérvia.

A decisão sobre sua extradição foi assinada pela ministra de Justiça da Sérvia, Snezana Malovic, como está previsto por lei.

Antes de a ministra assinar o documento, o Tribunal de Belgrado determinou o cumprimento das condições para a extradição de Karadzic ao TPII, segundo um comunicado oficial recebido pela Agência Efe em Belgrado.

Quando chegar à capital administrativa holandesa, Karadzic será encaminhado ao centro de detenção das Nações Unidas em Scheveningen, próximo a Haia.

O ex-líder servo-bósnio já expressou mediante seus advogados sua intenção de se defender sozinho no TPII, mas com o auxílio de uma equipe de assessores.

Karadzic foi detido pelos serviços de inteligência sérvios nas proximidades de Belgrado, onde vivia sob identidade falsa e se dedicava à medicina alternativa.

O ex-presidente dos sérvios da Bósnia é acusado pelo TPII do genocídio e outros crimes contra a humanidade cometidos durante a guerra da Bósnia. EFE Sn/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG